Nos últimos dias, parece que os cibernautas andaram com a cabeça quase na lua. Se é verdade que quem manteve os pés assentes na terra enquanto usava um computador não ficou indiferente ao fenómeno Kim Kardashian, especialmente porque as imagens correram as redes sociais quase sem filtros, a verdade é que foi a missão Rosetta, com a aterragem do módulo Philae no cometa 67B, a "quebrar a internet" - pegando na expressão que a revista Paper usou, quase em jeito de slogan, para apresentar as suas fotografias de Kardashian. A 12 de Novembro, as pesquisas em termos globais no Google relativamente à socialite ultrapassaram as 20 mil, mas Philae quebrou a barreira das 100 mil.

Publicidade
Publicidade

No Twitter, por exemplo, as hashtags mais utilizadas entre 12 e 13 de Novembro foram #CometLanding e #BreakTheInternet, um em referência à missão espacial e outro em relação às fotos de Kardashian.

Mas pegando no termo "cometa" por comparação a "Kardashian", o primeiro obteve mais de 479 mil tweets e o segundo passou os 307 mil, segundo uma análise do Wall Street Journal. Além disso, o primeiro está associado a sentimentos positivos, com um rating de 64, enquanto que o outro está mais associado a sentimentos negativos, com um rating de 43. Já entre 11 e 13 de Novembro, #CometLanding "aterrou" em mais de 667 mil tweets enquanto que #BreakTheInternet pouco passou dos 213 mil.

Opinião: Porque razão falamos tanto sobre Kim Kardashian?

Não é possível analisar todas discussões e comentários sobre a actualidade na internet, mas a impressão geral da autora deste artigo é a de que foi Kim Kardashian que mais despoletou opiniões.

Publicidade

Embora a impressão geral fosse negativa, é importante sublinhar que se o objectivo era despertar as atenções, este foi conseguido com sucesso. Mas porquê?

A razão é provavelmente a exposição. Ainda que ambos os temas tivessem obtido um número semelhante de notícias, o traseiro de Kim Kardashian esteve exposto na maior parte dos feeds das redes sociais sem o chamado "click bait" (a atracção de cliques para uma outra página através de frases chamativas e imagens sugestivas). As fotografias da socialite foram divulgadas quase sem censura em muitos dos casos e já se sabe que: a) a nudez das celebridades é provavelmente um dos tópicos mais populares na internet; e b) oferecer comentários sobre notícias é provavelmente uma das actividades preferidas dos cibernautas.

Na humilde opinião desta frequente utilizadora da web, há espaço para tudo no universo virtual, assim como há gostos para tudo no mundo "real". Neste caso, contudo, não existiu muito a fazer para ignorar a nudez de Kardashian além da escolha de fechar as páginas de redes sociais onde as fotografias não paravam de vir à baila. Coisa que foi feita, para centrar as atenções nos avanços científicos da humanidade.

É possível que já conheça de cor as curvas de Kim Kardashian. Mas sabia que há um português chamado Tiago Francisco na equipa da missão Rosetta?