Esta quinta-feira, dia 25 de Dezembro, estreia "Papel de Natal", um média-metragem do realizador português José Miguel Ribeiro, que retrata o tema da ecologia. Quando questionado sobre o surgimento desta ideia, José Ribeiro diz ter sido o resultado de dois dos seus projectos. Um deles está relacionado com uma tomada de consciência pessoal, desenvolvida ao longo desta época natalícia, de que se desperdiça uma quantidade gigantesca de papel. Surge de uma preocupação ambiental actual e com as gerações vindouras. O segundo é uma combinação dessa consciencialização com o facto de estar a desenvolver um outro projecto intitulado "o Rapaz de Papel"

O Rapaz de Papel começou a ser criado em 2009, todavia, na actualidade, pouco resta do mesmo visto ter desaparecido numa altura em que o Fundo de Investimento para o #Cinema e Audiovisual sofreu grandes cortes.

Publicidade
Publicidade

José Ribeiro refere que a impossibilidade de realizar este projecto constituiu uma "alavanca" para a ligação de dois dos seus trabalhos que culminaram na sua mais recente média-metragem.

O realizador confessa que esta foi uma oportunidade para que a série "Rapaz de Papel" pudesse renascer momentaneamente, ainda que refira que a sua ideia inicial está um pouco alterada. Demonstra, ainda assim, interesse, se assim se proporcionasse, em publicar a sua série. Rapaz de Papel foi um projecto que esteve pendente mais de quatro anos. Na altura, foi submetido para o Fundo de Investimento para o Cinema e Audiovisual e aprovado, todavia devido a algumas vicissitudes, nomeadamente no que respeita à perda de visibilidade e, num momento posterior, a quase extinção do fundo, o projecto ficou inviabilizado.

Publicidade

O novo projecto, "Papel de Natal", tornou-se possível com o apoio do Departamento de Gestão Ambiental da Câmara de Almada, que já tinha colaborado com José Ribeiro no apoio ao lançamento de outros projectos. O filme visa sensibilizar o público em geral para a importância das questões ecológicas e, se possível, transformá-lo. O filme poderá ser visto nos cinemas City e na UCI, em dez salas do país, nomeadamente na Grande Lisboa.