Definitivamente, 2014 foi o ano do Alentejo no que diz respeito ao #Turismo. Ao longo do ano, vários acontecimentos e notícias colocaram em destaque a região e os números parecem confirmar que  o Alentejo está mesmo na moda. Segundo o presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo, "2014 foi o melhor ano de sempre", em termos turísticos, para o Alentejo. "Fizemos os melhores indicadores, o maior número de dormidas, de taxa de ocupação, todos os números subiram significativamente, como nunca tinham subido, e isso é relevante, num ano excepcional para todo o turismo do Alentejo", afirmou Ceia da Silva, citado pela Rádio Elvas.

Publicidade
Publicidade

A contribuir para estes dados, estiveram as várias distinções que a região foi recebendo o longo de 2014. Os elogios chegaram de vários cantos do mundo e começaram logo em Janeiro, quando a National Geographic Traveller distinguiu o Alentejo como uma dos 21 melhores destinos a visitar em 2014. A região foi destacada como tendo um "ritmo lento, que é parte da atracção", e que aconselha a "relaxar, praticar a paciência e não olhar para o relógio".

Em Maio, um artigo publicado no The Guardian descreveu o Alentejo como a "nova Toscana" ou "Toscana mais barata". Foram muitas as palavras simpáticas do periódico britânico que pintou ainda a região como o "celeiro" e a "alma gastronómica" de Portugal. A publicação voltou a escrever sobre o Alentejo em Julho, desta vez centrando-se nas praias da costa Alentejana, que considerou "as melhores do mundo".

Publicidade

O jornal publicou um guia no qual aconselhou os leitores a esquecer Ibiza ou a Riviera, e a perder-se nesta região portuguesa ainda pouco explorada e recheada de "gloriosas" zonas balneares, que se distinguem pelo seu "charme", que o The Guardian considerou "mais subtil do que o da Provença ou da Toscânia, regiões que são postais de França e Itália".

Em Agosto, novos piropos, desta vez vindos dos Estados Unidos. Os leitores do USA Today elegeram o Alentejo como a melhor região enoturística do mundo. "Esta intrigante região rural é como uma viagem de volta no tempo para os amantes do vinho. O terreno diverso detém olivais e vinhas, aldeias pitorescas, prados cheios de flores e florestas", ilustrou um dos mais importantes jornais americanos, que destaca ainda a gastronomia local: "é rústica e autêntica, aproveitando ao máximo o estilo de vida agrário na região".

No mês de Setembro, a Herdade do Esporão, em Reguengos de Monsaraz, integrou a lista das 100 melhores adegas da Wine & Spirits, ao passo que Évora foi considerada uma das nove melhores cidades do mundo para comer pelo The Daily Meal.

Publicidade

Novembro foi um mês de sonho para os alentejanos. Além do prémio maior - a classificação pela UNESCO do cante alentejano como Património Imaterial da Humanidade - foi ainda anunciado que Reguengos de Monsaraz será a Cidade Europeia do Vinho 2015.

Esta distinção, juntamente com a escolha do Guia Internacional de viagens Rough Guides, que elege o Alentejo como um dos destinos a visitar em 2015, deixa antever que o sucesso é para continuar.

Outra prova do êxito da estratégia delineada para o turismo no Alentejo é o facto de o presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo estar nomeado para os Amadeus Brighter Awards na categoria de empreendedor do ano, "pelo trabalho desenvolvido na instituição ao nível da promoção e estruturação da oferta e pelas dinâmicas criadas com os empresários", segundo noticiou a Rádio Elvas.