Lisboa foi distinguida, pelo Best European Destination, como o segundo melhor destino europeu de 2015. O Best European Destination é uma organização de #Turismo, baseada em Bruxelas, dedicada à promoção da cultura e do turismo na Europa. A capital portuguesa é apontada pela gastronomia, comércio, jardins e esplanadas. O resultado foi combinado através do voto online de cerca de 245.000 votantes registados. O primeiro lugar foi tomado pela cidade francesa de Bordéus.


Este é apenas mais um dos prémios e distinções de relevo, organizadas pelas mais diversas entidades (revistas, organizações, portais online de turismo, etc.) classificando cidades e regiões portuguesas, ora no primeiro lugar, ora em lugares de topo. Cada atribuição individual vale por si; no conjunto, mostram uma tendência. Portugal não só consegue mostrar novos destinos (o Porto, que tem sido destaque enquanto receptor de turismo internacional; os Açores, o destino turístico mais sustentável do Mundo; o Alentejo, a Madeira) como consegue renovar o interesse nos mais antigos: Lisboa e Algarve.


No caso de Lisboa, citando José Diogo Quintela numa das suas crónicas de humor, os turistas procuram a combinação perfeita entre o conforto da civilização e os tiques do Terceiro Mundo. Passe a caricatura, é uma imagem real: os turistas vêem pelo castiço, pela tradição, pelo fado, pelos bairros antigos, pelos preços acessíveis; mas também pela segurança, pela facilidade dos transportes, até pela facilidade de acesso à internet.  E sempre pela História, pelo Tejo, pela tão celebrada luz meridional. É possível ir às compras nas lojas mais caras da Avenida da Liberdade, descobrir os icónicos Jerónimos e Torre de Belém, subir ao velho castelo de S. Jorge, percorrer as velhas Alfama e Mouraria ou o renovado Chiado, sabendo que há sempre um metropolitano que chega a todo o lado e sempre um grande shopping à mão para qualquer eventualidade. Casas de fado e bons restaurantes são fáceis de encontrar também - e ainda que a qualidade do atendimento da restauração lisboeta não tenha grande fama entre os portugueses, o profissionalismo está a fazer o seu caminho nesta área também. O turismo da capital está bem e recomenda-se. 


Refira-se que Atenas, capital da Grécia, ficou em 3º lugar. Barcelona, Roma e Madrid surgem entre o 10º e o 15º lugares. Já capitais emblemáticas como Paris e Londres não constam da lista.