As viagens low cost para os Açores vão ser uma realidade a partir deste domingo, dia 29 de Março, com a chegada a Ponta Delgada do primeiro voo operado por uma companhia aérea de baixo custo. É o início da “maior reforma de sempre ao nível das acessibilidades e da mobilidade de todos os açorianos”, afirmou esta semana Vitor Fraga, secretário regional dos Transportes do Governo Regional. Pelo menos nesta fase inicial, quer a Easyjet, quer a Ryanair, vão voar apenas para São Miguel (Ponta Delgada). Ainda assim, registou-se em todas as rotas que ligam os Açores ao resto do país uma descida significativa das tarifas. A liberalização das ligações aéreas aos Açores aumenta as expectativas dos empresários, sobretudo na área do #Turismo.



A Ryanair revelou no mês passado que as reservas estão a ser superiores às expectativas e a Easyjet afirmou que já tem alguns voos esgotados e outros quase completos. A TAP e a SATA não adiantaram dados sobre reservas, mas admitiu que os voos da low cost criam tráfego para todas as companhias. No que respeita aos outros sectores que beneficiam desta liberalização, nomeadamente o sector hoteleiro, há indicadores que mostram que, para o fim-de-semana prolongado da Páscoa, as reservas em hotéis da ilha de São Miguel apresentam níveis fora do comum, com uma ocupação a rondar os 80%; segundo dados da Associação de Hotelaria de Portugal.



Até há pouco tempo, cerca de 90% dos turistas que visitavam os Açores, optavam pela compra de pacotes turísticos a operadores. No entanto, desde o fim de 2014 tem-se vindo a verificar o aumento de reservas individuais na hotelaria. Os empresários crêem que a economia regional vai sofrer um impacto positivo e dizem que as empresas estão preparadas para fazer face ao aumento do número de turistas.

O novo modelo de ligações aéreas para os Açores deverá também fomentar o tráfego de passageiros residentes nos Açores, já que estes têm acesso a tarifas mais baixas nas viagens para o continente. Por outro lado, ainda, em Setembro registar-se-á uma descida de cerca de 20% nas tarifas para residentes em voos inter-ilhas.