O #Turismo, área que tem dado muitos benefícios à economia de vários países (entre os quais Portugal), tem subido cada vez mais a exigência no grau de qualidade dos seus serviços. O objetivo é satisfazer todas as necessidades do turista. Com a chegada do verão e dos meses em que a grande maioria de população portuguesa usufrui das suas férias, fique a conhecer quais as mais recentes apostas turísticas.

FlashPacking - Inspirada no modelo backpacking, pretende disponibilizar ao turista baixos custos nas viagens e no alojamento. Já na alimentação, são oferecidos pratos categóricos. A disponibilização de tecnologias neste tipo de turismo é cada vez mais habitual.

Publicidade
Publicidade

Slow-Travel -  quer dar a conhecer locais que habitualmente não fazem parte do plano turístico. Durante pelo menos 7 dias, através de caminhadas e do convívio, permite conhecer o estilo de vida do local a visitar, tentando assim fazer o cliente sentir-se confortável.

Rough-Luxe - Pretende unir o descanso ao conhecimento. Ou seja foca-se na introspecção e no estabelecimentos de contactos pessoais do local de férias.

Staycation -  Visa durante um reduzido número de dias poupar dinheiro. Dá a conhecer o património da região onde o visitante se encontra, oferecendo ao turista a visita mais profunda sobre a região. Para tal integra várias visitas a museus e exposições.

Nano Breaks - Sobretudo para fugir dos problemas quotidianos, esta aposta turística surge com a alternativa indicada.

Publicidade

Estas viagens fugazes, permitem ter uma perspetiva da cidade e com custos reduzidos.

Geeky Traveler - Porque vivemos num mundo cada vez mais dependente das tecnologias, a Geeky Traveler aproxima as tecnologias do viajante. Os gadgets e a internet são alguns dos dispositivos tidos em conta. Com estes recursos o visitante pode ter várias informações sobre questões logísticas.

Ecocubo - A pensar no alojamento para o Turismo de Natureza, em Portugal, surge um conceito original. O Ecocubo é, uma casa de pequenas dimensões, fundamentalmente composta por cortiça, e que de acordo com o seu autor (arquiteto António Fernandes) à TSF, é "um módulo habitacional de baixo custo, amovível, funcionalmente flexível e sustentável. Construído com elementos pré-fabricados de simples e rápida execução, o Ecocubo permite também exprimir os valores da Portugalidade, da inovação tecnológica e sustentabilidade".

Entre os parceiros desta iniciativa, constam por exemplo: a empresa de cortiças Amorim, a empresa energética Edigreen e o Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto.