Kizomba é suave. Kizomba é lenta e sensual e é acompanhada por um ritmo sedutor que enfeitiça quem a ouve. Ela é um género musical e um estilo de #Dança que nasce no epicentro das longas festas de Angola que misturavam sons típicos do país, como o merengue angolano, o semba, a maringa e o cadute. A noite angolana viu nascer e ofereceu ao mundo um dos estilos mais sensuais de dança, através da fusão de todos estes ritmos africanos. E a kizomba conquistou o mundo pela maneira enfeitiçada que permite criar uma ligação profunda com outra pessoa.

Está na moda e veio para ficar. Conquistou África, chegou a Portugal e ao Brasil, e num ápice os ritmos escaldantes e a suavidade da dança espalharam-se pela Europa, nomeadamente, Espanha, França, Inglaterra, Polónia, Dinamarca, Finlândia, Bélgica.

Publicidade
Publicidade

Até na Lituânia, mas também chegou aos Estados Unidos da América e ao Canadá. Esta é uma dança que quem a pratica diz ser uma experiência fora do corpo e tão dentro dele ao mesmo tempo.

De África para o mundo

A divulgação da Kizomba espalhou-se essencialmente através de workshops de dança que são leccionados pelo mundo fora. À Sapo, disseram duas alunas de aulas de Kizomba, da Lituânia, que se interessam pelo estilo "por causa da música, da sensualidade. Kizomba é mais que uma música. É muito mais que isso". Para estas alunas da Lituânia, a kizomba é descritiva como "um sentimento". Outra aluna espanhola das aulas de kizomba diz que se sentiu convidada a aprender o estilo de dança porque gosta "muito da música e dos ritmos".

Mas não é só isso. Para a espanhola, a música reflecte a felicidade que se vive em África, "sem necessidade de outra coisa, apenas a música".

Publicidade

Os participantes portugueses, admitem que pela proximidade do passado, os sons e as comidas africanas entraram desde cedo no seu quotidiano, por isso é simples espoletar um amor por estes ritmos. As próprias festas africanas que se disseminam por Portugal inteiro fizeram expandir o número de fãs da música, que geralmente deixam o pé se soltar em ambiente nocturno, quando a kizomba começa a tocar.

Anselmo Ralph mistura os ritmos do kizomba com samba e R&B, um artista que vale a pena ouvir, entre muitos outros.