As Ilhas Faroé estão situadas no Atlântico Norte, entre a Islândia e a Escócia, e pertencem à Dinamarca. São constituídas por dezoito ilhas com uma área de 1.499 km² e com cerca de 47.000 habitantes. Tórshavn, capital das Ilhas Faroé, situa-se na maior ilha denominada de Streymoy com cerca de 16.000 habitantes, dados de 1999. Os países mais próximos são a Islândia, localizada a noroeste, e a Escócia a sul-sueste. 

O arquipélago decidiu não se juntar à União Europeia e desde 1948 mantêm um sistema de governo autónomo, sendo oficialmente um país constituinte do Reino da Dinamarca; a sua autonomia revela-se no facto de ter um parlamento e um primeiro-ministro próprios.

Publicidade
Publicidade

O seu objetivo, no futuro, é atingir a total independência em relação à independência em relação à Dinamarca.

A sua morfologia é constituída por rochas e fiordes. O clima oceânico permite que a capital, Tórshavn, não tenha temperaturas médias abaixo dos zero graus. Os verões são frescos e os invernos amenos. As Ilhas Faroé são assoladas por nevoeiros contínuos, nebulosidade frequente e rajadas de ventos. À exceção de Lítla Dímun, todas as ilhas estão povoadas. 

Para os habitantes das Ilhas Faroé a religião desempenha um papel importante nas suas vidas, sendo que a religião cristã, o luteranismo, testemunhas de Jeová e bahá'is estão presentes no arquipélago. 

A caça às baleias data de 1584, sendo que a atividade não é regulamentada pela Comissão Baleeira Internacional. Todos os anos, durante o verão os habitantes das Ilhas Faroé matam baleias-piloto.

Publicidade

É a própria população que organiza a caça às baleias e qualquer pessoa pode participar no evento. Os pescadores, ao avistarem as baleias junto à costa, levam a que os seus barcos pesqueiros as conduzam à baía onde ficam encalhadas e, posteriormente, são abatidas. 

Apesar deste tipo de atividade fazer parte da cultura dos faroenses e alimentar os habitantes das ilhas, ativistas pelo direitos dos animais, nomeadamente a Sea Shepherd Conservation Society, repudiam a atividade, considerando-a cruel e escusada. Outro fator a apontar, de acordo com a Wikipédia, é a sustentabilidade desta prática em relação ao futuro do animal. 

O escritor de maior renome das Ilhas Faroé é William Heinesen e o pintor mais conhecido é Sámal Joensen-Mikines.  #Natureza #Viagens