Um acidente ocorrido no passado sábado, 25 de Abril, no Itinerário Complementar (IC) nº 2, na zona de Leiria, que provocou a morte de duas pessoas, está a provocar revolta a quem utiliza aquela estrada do país. A comissão de utentes promete voltar com novas formas de luta até que sejam realizadas as obras para colocação de um separador central. A empresa "Estradas de Portugal" já colocou a obra a concurso público, mas ainda não há uma data para a sua realização. As vítimas do acidente eram marido e mulher, de 73 e 74 anos de idade, e residiam no concelho de Leiria.

O acidente ocorreu no IC2 (ex-Estrada Nacional nº 1) cerca das 15:30 horas, tendo a circulação rodoviária sido interrompida, em ambos os sentidos, até perto das 19 horas. Tratou-se de uma colisão frontal entre dois automóveis, envolvendo ainda um terceiro, provocando a morte dos dois ocupantes de um dos veículos, que acabaria por capotar contra os rails de protecção. As vítimas mortais foram um casal com 73 e 74 anos de idade, com residência no concelho de Leiria. As outras duas vítimas foram socorridas e transportadas para o Centro Hospitalar de Leiria (Hospital de Santo André), mas aparentemente não corriam risco de vida.

A comissão de utentes do IC2, liderada por Frederico Sousa, já reagiu, anunciando a realização de novas manifestações até que seja colocado um separador central na via, a fim de evitar futuros acidentes. O acidente ocorreu a poucos metros do local onde, em Outubro do ano passado, ocorreu um outro também com uma vítima mortal e num troço considerado ponto negro no mapa da sinistralidade rodoviária.

Após os protestos levados a efeito no final do ano passado, e na sequência de reuniões com a Câmara Municipal de Leiria, a empresa "Estradas de Portugal" garantiu a realização de várias intervenções, entre elas as obras reivindicadas, com início para Janeiro deste ano. Contudo, passados mais de quatro meses, nada foi feito. Daí que os utentes pretendam, agora, realizar novas formas de luta mais duras. Até porque estão convictos que caso o separador tivesse colocado o acidente não teria sido tão trágico. #Acidente Rodoviário