Uma exposição do polémico fotógrafo, ex-director de arte da Benetton, Oliviero Toscani, vai estar patente ao público em pleno centro da cidade de Pombal, no distrito de Leiria. São 30 painéis de grandes dimensões que retratam os burros de Trás-os-Montes que Toscani transformou em "top models". A iniciativa insere-se no programa do Festival 'Sete Sóis Sete Luas' que aquela cidade vai receber, pela primeira vez, proporcionando espectáculos de #Música mediterrânica e do mundo lusófono. Por outro lado, o jovem pombalense, Ricardo Silva, irá integrar a nova produção do festival, levando a música da guitarra portuguesa a vários países do mediterrâneo.

"Hardware + Software = Burros" é o título da exposição que Oliviero Toscani promete causar espanto e surpresa à população de Pombal, chamando, daquela forma, a atenção para o empobrecimento da inteligência do homem por culpa da tecnologia. As fotografias dão a conhecer os burros de Miranda do Douro que o fotógrafo italiano sempre quis que fossem modelos. Há décadas que Toscani considerava que era muito interessante fotografar os burros portugueses do que modelos, que ao longo dos tempos fotografou para as diversas revistas de modo. O sonho concretizou-se há uma dezena de anos e chega agora a Pombal. A exposição é inaugurada no dia 27 de Junho e permanecerá em pleno centro da cidade até 4 de Julho.

Por sua vez, o Castelo de Pombal será palco, pela primeira vez, do Festival 'Sete Sóis Sete Luas', uma rede que reúne 30 cidades de 11 países, como o Brasil, Cabo Verde, Croácia, França, Grécia, Itália, Marrocos, Portugal, Roménia, Eslovénia e Espanha. O Município presidido pelo social-democrata Diogo Mateus vai investir 20 mil euros no evento que pretende "enriquecer muito a oferta cultural na cidade", proporcionando aos munícipes, e não só, "a oportunidade para escutar sons e viver experiências" de outros países lusófonos.

Todos os espectáculos têm entrada gratuita e o primeiro está agendado para a noite do dia 27, a cargo de Korronzi, um grupo revelação da música do País Basco. No dia seguinte, subirá ao palco instalado no Castelo, Mario Incudine, que transmitirá ao público os sentimentos do povo da Sicília. No dia 3 de Julho, será a vez de actuar David Nieto, que levará a Pombal o flamenco da província andaluza de Cádiz. O festival encerrará portas no dia 4 de Julho com a actuação da Dom Sebastião Orkestra, uma produção com direcção musical do músico português António Prata, e que conta com músicos de Itália, Cabo Verde e Marrocos.

Por outro lado, o jovem guitarrista pombalense Ricardo Silva representará Pombal na nova produção do Festival 'Sete Sóis Sete Luas' com a Orkestra Luasiberica, que nos próximos dois anos deverá subir a alguns palcos em países da rede. #Exposições