Um homem, de 70 anos, morreu esta tarde, dia 26, vítima de #Afogamento a norte da praia do Casal Ventoso, na Praia do Pedrógão, concelho de Leiria. Esta é uma zona de praia não vigiada. Tal tem levado a muitos protestos de populares e banhistas que pedem um nadador-salvador para a zona. Solução pode ser encontrada com a ajuda da Câmara Municipal de Leiria, à semelhança do que aconteceu no passado.

A praia a norte do Casal Ventoso, na praia do Pedrógão, assistiu esta tarde a um afogamento mortal. Apesar da pronta intervenção de alguns populares e banhistas que assistiram a tudo, a vítima acabaria por não resistir. Uma testemunha referiu ao jornal Região de Leiria: "que a vítima terá pedido socorro depois de entrar no banho, tendo sido retirada por outros banhistas". 

Paulo Oliveira Inácio, o Comandante da Capitania do Porto da Figueira da Foz, confirmou ao Região de Leiria o óbito, acrescentando que o homem já se encontrava inanimado quando foi retirado da água por populares.

Esta é aliás uma zona bastante problemática e onde a falta de nadadores-salvadores tem levado a muitos protestos da população e banhistas, como aquele que aconteceu recentemente durante este mês de Agosto, e que levou o Agrupamento de Moradores e Amigos do Casal Ventoso a colocar na praia um espantalho "mascarado" de um nadador-salvador, de forma a reforçar as suas críticas, face ao abandono a que dizem a praia estar sujeita.

O problema tem a ver com a não existência de nenhuma concessão na área, o que leva a que não exista uma entidade que possa suportar os custos com os nadadores-salvadores. Em tempos a Câmara Municipal de Leiria chegou a assumir esta responsabilidade, e o Projecto Integrado de Segurança da Praia do Pedrógão era redefinido, de forma a abranger também a praia do Casal Ventoso, substituindo-se assim a Câmara à acção da Autoridade Marítima Nacional.  

No entanto, este ano tal não se repetiu, o que tem levado a muitos protestos que certamente serão ampliados após a morte de mais um banhista.