Vários meios de busca e salvamento estão desde os primeiros minutos do ano a efectuar buscas no mar da Nazaré. Há fortes indícios de que um jovem, aparentando ter cerca de 20 anos, esteja desaparecido nas águas do Atlântico. O alerta foi dado pouco depois da meia noite e meia hora desta sexta-feira, 1 de Janeiro, quando estavam milhares de pessoas no areal a celebrar a chegada do novo ano. De imediato foi montada uma operação de busca envolvendo vários meios dos bombeiros, Polícia Marítima, Marinha Portuguesa, entre outros, para actuar por terra, mar e ar.

Não há certezas sobre o desaparecimento de um jovem no mar da Nazaré aos primeiros minutos do novo ano. O certo é que às 00:38 horas desta sexta-feira, 1 de Janeiro, foi dado um alerta para a presença de um rapaz, aparentando cerca de 20 anos, dentro de água e que terá deixado de ser visto. As autoridades marítimas falaram com três testemunhas, que não têm qualquer relação familiar ou de amizade com o jovem, mas que afirmaram tê-lo avistado a entrar na água e a ser levado pelo mar. Gomes Agostinho, capitão do Porto da Nazaré, refere que se tratavam de pessoas “bastante lúcidas”.

Naquela hora estavam no areal da Nazaré e na respectiva marginal milhares de pessoas a celebrar a passagem de ano. A Protecção Civil tinha montado um forte dispositivo de segurança e de alerta, evitando que as pessoas se deslocassem até à beira-mar, até porque havia alertas para a existência de fortes agitações marítimas. No entanto, as autoridades não descartam que o jovem tenha rompido a barreira de segurança, daí que aquelas testemunhas afirmam que o viram no mar com água até aos joelhos.

Perante o alerta foi iniciada uma operação de busca e salvamento, envolvendo diversos meios, que se prolongou pela noite dentro, apesar de não ter chegado às autoridades qualquer participação de desaparecimento. Ao início da tarde foram retiradas duas embarcações devido à forte agitação marítima, permanecendo ainda uma corveta da Marinha e um helicóptero da Força Aérea Portuguesa, para além de meios de vigilância terrestre da Polícia Marítima e dos Bombeiros.

O Capitão do Porto da Nazaré esclareceu aos jornalistas que, caso continue a não existir qualquer participação de desaparecimento por parte de familiares ou amigos, as autoridades poderão rever os procedimentos de busca realizados até ali. #Afogamento