Aquilo que era para ser mais uma jornada de convívio entre velhos conhecidos, acabou no passado sábado (27 de Fevereiro) por ser uma tarde trágica e difícil de esquecer. Um jogador de 63 anos caiu inanimado e, apesar das tentativas de reanimação, o óbito acabou por ser declarado no local.

C.R.C.22 de Junho/Amor e Clube Recreativo das Chãs disputavam no Outeiro da Fonte (Leiria) mais um jogo amigável entre as suas equipas de veteranos. Tudo corria normalmente, num salutar convívio, quando José Augusto de Sousa, jogador do CR Chãs, caiu inanimado no sintético. Apesar das várias tentativas de reanimação, primeiro por alguns intervenientes no jogo e depois pela equipa da Viatura Médica de Emergência (VMER), não foi possível a reanimação e o óbito acabou por ser confirmado no local.

Para além de músico na Filarmónica das Chãs, José Augusto de Sousa, 63 anos e residente em Chãs, Regueira de Pontes (Leiria), era proprietário da Taberna da Amizade, no Centro Comercial Maringá, na cidade de Leiria, e da loja "Naturália", nos Jardins Galerias do Lis, também em Leiria. 

José Augusto de Sousa junta assim o seu nome a um extensa lista de desportistas vítimas de morte súbita enquanto praticavam desporto, lista esta onde em Portugal o caso do benfiquista Miklos Fehér terá sido o mais mediático, com a sua morte a ser seguida em directo por milhões de espectadores. Já este ano, também Vicente Castro Feijó, ex-atleta da formação do SL Benfica, não resistiu a uma paragem cardiorrespiratória e também ele acabou por falecer.

A frequência com que estes casos têm acontecido nos últimos anos tem feito novamente disparar o alarme sobre as condições físicas de muitos atletas que praticam desporto, e o que poderá evitar que estas catástrofes se repitam. É que se neste caso estamos a falar de um desportista amador e provavelmente com pouca vigilância médica, mais estranho se torna estes casos acontecerem com atletas de alta competição, sujeitos a uma vigilância médica diária e em que nada indica que possam vir a ser vítimas de situação semelhante.  #Futebol #Casos Médicos