Poucos meses depois de um adepto do Grupo Desportivo Atouguiense ter sido barbaramente agredido por jogadores do GD "Os Nazarenos", um novo caso de #Violência assola o #Futebol juvenil no Distrito de Leiria. Desta vez, tudo aconteceu nas Caldas da Rainha, no decorrer no jogo Caldas SC - Sintrense, em Juniores.

Em jogo a contar para a 7.ªJornada da 2.ªDivisão nacional/Série D, Caldas Sport Clube e Sintrense defrontaram-se no passado sábado no Campo da Boneca, nas Caldas da Rainha (Leiria). No entanto, aquilo que se pensava ser apenas mais um jogo, não o viria a ser, tudo porque, num acto irreflectido, o capitão do Caldas Sport Clube, Edgar Garcia, agrediu com uma cabeçada o árbitro do desafio, João Letras, da Associação de Futebol de Évora, que necessitou de receber assistência hospitalar.

Logo após este triste episódio, o Caldas SC publicou no seu Facebook Oficial, uma mensagem em que lamentava o sucedido, "não se revendo na acção do seu atleta e desmarcando-se completamente deste tipo de atitudes, que vão de encontro aos valores que a formação do clube procura transmitir".

Também o atleta, e num post que o próprio clube mais tarde também partilharia no seu Facebook, veio pedir desculpa pelo sucedido, mostrando-se envergonhado pelo seu gesto irreflectido: "Ontem, infelizmente, escreveu-se a história mais negra da minha vida desportiva. Ontem tive um ato de que me envergonho bastante. Um ato bastante negativo. Um ato completamente irreflectido. Não sei o que me passou pela cabeça. Sou um jogador agressivo, que jogo sempre nos limites, mas aquele Edgar não sou eu. Por um lado, só quem anda dentro de campo sabe o que é ter o 'sangue quente', o que é sentir o calor e a pressão do jogo. Mas ontem passei completamente os limites. Não me revejo naquele tipo de comportamentos". 

Agora, cabe ao Conselho de Disciplina da FPF averiguar os factos e as penas a aplicar, sendo certo, e uma vez que o jogo não terminou, que o Caldas SC provavelmente irá sofrer uma derrota no encontro, sendo ainda de esperar uma pena pesada para o atleta que, apesar do arrependimento, ficará certamente bastante tempo fora das competições oficiais.