O protesto dos suinicultores, que aconteceu ontem à noite no IC2, em Venda das Raparigas, perto de Benedita (concelho de Alcobaça), terminou com 2 homens detidos pela GNR, tendo um deles ficado ferido. Os suinicultores têm estado a protestar devido à crise no sector. 

De acordo com o programa Edição da Manhã (SIC), dois manifestantes, entre eles um com apenas 17 anos, foram presos, por volta da meia noite, porque entraram em conflito com os agentes da Guarda Nacional Republicana. No rosto do homem mais velho ficaram as marcas do confronto, estando a sua boca estava coberta de sangue. 

Os repórteres presentes no local conseguiram falar com o manifestante, que já se encontrava dentro do veículo da GNR. De dentro da viatura, o homem gritou "partiram-me a cara toda", no momento em que as câmaras estavam a apontar para ele.

Os parentes do jovem de 17 anos, que foi levado pelas autoridades, procuravam explicações para a detenção do menor. Os pais, assim como outros membros da família, não conseguiam perceber o que se tinha passado. A mãe do jovem estava desesperada, enquanto chorava abraçada ao marido, perguntando "mas o que é que ele fez?".

Já depois das 23 horas, um grupo protestava contra o trabalho de uma máquina que retirava as pedras que tinham sido espalhadas pelos manifestantes no IC2. O Corpo de Intervenção da GNR, que estava a ser insultado pelos suinicultores, manteve-se junto a um dos lados da estrada, para assegurar que o trabalho continuasse. 

Do outro lado da estrada, encontravam-se alguns populares dentro de uma propriedade que, não respeitando a autoridade presente no local, atiravam pedras contra a máquina. Os confrontos deram-se quando, para impedir que os populares continuassem a atirar pedras contra o veículo e a limpeza da estrada, alguns elementos da GNR entraram na propriedade onde estavam os populares, resultando na detenção do jovem.

Um dos populares falou com a SIC, afirmando que a polícia invadiu a propriedade que era de um residente presente no local e que o proprietário "foi pedir justificação à polícia", citando a testemunha. O popular fez questão de frisar que aquela propriedade era privada e que a polícia, não tendo qualquer documento a permitir a sua entrada, não podia ter entrado no terreno. Outra testemunha disse também que eram 5 ou 6 os agentes da GNR que entraram na propriedade e tiraram o jovem de dentro da propriedade.  #Manifestação