A #Violência regressou ao #Futebol distrital de Leiria. Na tarde de domingo (4 de junho) e num jogo que já nada decidia em termos classificativos, o Ginásio Clube de Alcobaça, já campeão distrital, deslocou-se ao reduto do Grupo Desportivo Guiense para a última jornada da Divisão de Honra de Futebol. E o impensável aconteceu.

Logo nos minutos iniciais da partida, e num lance aparentemente inofensivo, o atleta do Ginásio Clube de Alcobaça, Hugo Meca Carvalhido, envolveu-se numa discussão com o árbitro da partida, Pedro Figueiredo. Depois de este o admoestar com a cartolina vermelha, o atleta agrediu o árbitro da partida, o que levou a que Pedro Figueiredo considerasse não ter condições para prosseguir o desafio, terminando o jogo. 

Agora, para além das consequências óbvias que deverão recair sobre o atleta, também o Ginásio Clube de Alcobaça deverá ser punido desportivamente, devendo ser-lhe atribuída a derrota no jogo em questão.

Outros casos de violência no futebol distrital de Leiria

Este não é, no entanto, um caso único de violência no futebol amador de Leiria. Já esta temporada, num jogo de formação entre as equipas do GD Atouguiense e do GD "Os nazarenos", alguns atletas da equipa de Juniores do GD "Os Nazarenos" saltaram a vedação que separa o campo dos adeptos e, num acesso de fúria inexplicável, agrediram um jovem que teve que receber assistência hospitalar nas Caldas da Rainha.

Logo no fim do jogo, Paulo Coutinho, técnico da equipa, pediu a sua demissão por não concordar com o sucedido e meses depois, após o apuramento dos factos, a Associação de Futebol de Leiria castigou vários atletas do clube da Nazaré, alguns dos quais não vão poder jogar mais esta época.

Claras melhorias, mesmo sem policiamento

Ainda assim, e não havendo agora policiamento obrigatório nos jogos de formação da distrital, sendo a segurança garantida pelo staff da equipa que joga em casa, é notória a diminuição de casos de violência na distrital de Leiria, sendo felizmente casos como este a excepção e não a regra.