Um electricista de automóveis foi na manhã de ontem (18 de maio) agredido com uma facada na sua oficina, em Amor, no concelho de Leiria. Tudo aconteceu cerca das nove da manhã, quando o electricista terá sido surpreendido por um conhecido nas suas instalações e, após uma troca de insultos e agressões, o electricista acabou por sofrer ferimentos ligeiros provocados por uma arma branca.

A agressão afectou a zona da grelha costal esquerda, junto à axila, pelo que a vítima teve de ser assistida no Hospital Distrital de Leiria. Na origem da agressão terá estado uma rivalidade passional, que poderá também envolver uma das funcionárias da empresa.

Publicidade
Publicidade

Caso abala aldeia pacata

Não sendo uma situação comum na pacata aldeia de Amor, este incidente acontece poucos meses depois de um incidente similar e que quase acabou em tragédia. Em Agosto do ano passado, e após uma violenta discussão entre um casal, uma mulher de 33 anos acabou por agredir à facada o namorado, que foi internado em estado grave.

As discussões entre o casal eram frequentes, muitas vezes com muito álcool à mistura, o que poderia ter levado a um final trágico. O homem acabaria por recuperar, sendo que mais tarde a mulher acabaria por ser condenada a quatro anos de prisão efectiva, tendo o tribunal dado como provadas todas as acusações.

Criminalidade a descer em Portugal

Apesar de casos pontuais como estes, Portugal continua ainda a ser um país de brandos costumes e os números da criminalidade ainda estão muito longe dos verificados noutros países.

Publicidade

Esse tem sido, aliás, um dos trunfos muitas vezes usado para conseguir captar mais turistas para o nosso país. E se é verdade que muitas vezes se torna num cliché, a verdade é que Portugal continua a ser um país seguro para quem nele vive e para quem o visita.

Segundo dados do Relatório Anual de Segurança Interna (RASI) relativos ao ano de 2016 e divulgados em março deste ano, foi possível apurar que a criminalidade geral teve uma queda de 7,1%, facto que se tem vindo a verificar desde 2009.

Ainda de acordo com o mesmo relatório, em 2016 existiram menos 25160 participações do que no ano de 2015, destacando-se o distrito do Porto que, só por si, teve menos 4943 casos de participações criminais. Nestes números gerais, apenas se destaca o aumento da criminalidade informática, uma tendência que tem subido nos últimos anos em Portugal, tal como acontece um pouco por todo o mundo. #Justiça #Crime #Polícia