Desde há algum tempo que a população tem passado por situações bastante difíceis. Vive-se uma situação económica que se vem deteriorando a cada dia. Situação bastante visível nas pequenas soluções praticamente ineficientes de emprego e no desgaste na procura de outras formas de rendimento capazes de fazer face a algumas necessidades básicas do dia-a-dia. Honestidade e criatividade vêm trazendo pequenas soluções ao público, quer através de truques inovadores quer através da persistência em mostrar algumas das nossas habilidades secretas, por vezes consideradas "mágicas".

A curiosidade do que é dado a conhecer é bastante significativo na nossa população, o que favorece em muito a exploração de novos campos e métodos capazes de render sempre alguns trocados numa interacção pessoal, face to face ou não. Nas ruas de Lisboa, por vezes entre Sete Rios e a Praça de Espanha, e noutras, entre São Sebastião e Campo Pequeno, podemos encontrar um casal, que com o seu truque "mágico" de malabarismo encanta e maravilha muitos transeuntes por esta cidade fora.

Este casal, conhecido por muitos nas ruas de Lisboa como Paula e George, são o exemplo da força, confiança e determinação de um povo que num momento de maior dificuldade, pela persistência, consegue conceber soluções criativas capazes de transformar performance numa fonte de rendimento fixo, conciliando trabalho e diversão.

Claro que esta força de vontade e criatividade muitas vezes necessita de ser reconhecida pelo público, porque é dela que vem a recompensa final. Embora inevitavelmente em forma de pequenos trocados que se vão acumulando em cada apresentação, mas que no final do dia equivalem ao valor de um dia normal de trabalho. Paula e George consideram-se actores e performers e não simplesmente pequenos malabaristas de rua, porque eles conseguem não só envolver o público presente na apresentação do número, mas também vivem uma personagem real dentro de outra personagem.

Esta capacidade de actuação em ambiente extrovertido dá azo a inúmeras ideias criativas que da melhor forma fazem face a dificuldades económicas e sociais que vivemos neste período conturbado de crise económica mundial. #Negócios #Desemprego #Artes