Uma associação de defesa do #Ambiente alemã e a NABU avaliaram a poluição dos portos de Lisboa e chegaram a conclusões assustadoras, segundo a Quercus. As análises foram realizadas no terminal dos navios de cruzeiro, em Santa Apolónia e na estação fluvial do Cais do Sodré. Nos resultados foram registadas partículas de muita pequena dimensão que são capazes de provocar asma, bronquite ou agravar problemas respiratórios.

Os resultados obtidos pelo Porto de Lisboa podem ser comparados aos que foram medidos noutros portos europeus que também recebem navios de cruzeiro, como Barcelona, Veneza ou Hamburgo, o maior porto da Alemanha. Segundo o especialista da NABU, Daniel Rieger, estes valores podem ser justificados com o facto de os navios estarem a utilizar "combustíveis muito pesados e sujos, com nenhuma preocupação em filtrar o ar poluído".

Segundo Mafalda Sousa, da Quercus, "No terminal de cruzeiros de Santa Apolónia, estão, neste momento, dois navios de cruzeiro atracados a receber passageiros e estamos com níveis de 20 mil partículas por centímetro cúbico. É um valor bastante elevado, tendo em conta que para um ar considerado limpo os níveis deveriam estar nas mil partículas por centímetro cúbico". Estas pequenas partículas contêm substâncias perigosas para a saúde, como carbono negro, partícula considerada cancerígena.

Para que se possa ter a noção da dimensão da poluição de que se fala, Daniel Rieger e a sua equipa mediram a quantidade de partículas no centro da cidade de Berlim e nos resultados surgiram cerca de 6 mil partículas por centímetro cúbico. Em comunicado, o especialista referiu que as pessoas não têm a consciência da qualidade do ar que respiram na cidade e daí terá partido o estudo da poluição dos portos marítimos e fluviais da Europa: o "Clean Air Ports".

"A nossa equipa tem equipamentos que avaliam as emissões de partículas, óxido de azoto e óxido de enxofre", explicou Daniel Rieger. "Os valores de poluição causada pelos dois navios aqui agora ancorados (Porto de Lisboa) são muito superiores aos da poluição causada pelo tráfego". "O 'fumo' vai para o centro da cidade, onde as pessoas vivem e o respiram todos os dias", acrescentou o especialista. Os dados vão ser entregues à Administração do Porto de Lisboa, juntamente com sugestões e recomendações para que o problema possa ser minimizado. #Turismo