O Jardim Zoológico de Lisboa recebeu a maior doação de alimentos de sempre, correspondendo a 10 toneladas de carne de bovino por parte da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE). O produto doado, entregue esta sexta-feira, 17 de Julho, resulta de uma apreensão efectuada por aquela Autoridade. O Jardim Zoológico refere que aquele produto corresponde a mais de dois meses de alimentação para os animais que habitam o espaço. Dias antes, a ASAE tinha doado centenas de peças de vestuário a instituições sociais.

De acordo com a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica, as 10 toneladas de carne de bovino estavam a ser transportado na Auto-Estrada nº 1 (A1), no passado dia 8 de Julho, com destino a uma cadeia de supermercados. No entanto, devido a um acidente de viação o sistema de frio do transporte foi interrompido, tendo os peritos da ASAE, designadamente um médico veterinário, determinado a apreensão do produto por o mesmo não apresentar condições para que fosse introduzido no mercado para consumo humano.

A ASAE dá conta, ainda, através de um comunicado à imprensa, que conjuntamente com o respectivo operador económico "foram efectuadas diversas diligências no sentido de se acautelar um destino para o produto apreendido" tendo em conta a quantidade em causa e o seu valor económico.

As duas entidades (ASAE e operador económico) viriam a concordar com a entrega da carne ao Jardim Zoológico de Lisboa, uma vez que "se encontrava em condições para consumo animal". Uma doação que, segundo aquela instituição lisboeta, "satisfará as necessidades correspondentes a mais de 2 meses de alimentação para os animais" que ali habitam e que são atracção para os inúmeros visitantes.

Esta doação surge depois de no dia 14 de Julho se ter realizado a entrega de uma centena de peças de vestuário, incluindo fatos de treino, calças e sweatshirts ao Estabelecimento Prisional de Coimbra. Dias antes, a mesma Autoridade de Segurança Alimentar e Económica tinha doado 428 polos ao Centro de Apoio Social do Pisão, em Alcabideche, no concelho de Cascais. Em ambos os casos, o material doado resultou de apreensões efectuadas no âmbito de acções de fiscalização, enquanto as doações inserem-se na estratégia da responsabilidade social da entidade, em detrimento da sua destruição. #Causas