Na passada terça-feira, dia 7, na sede do PS em Lisboa, viveram-se momentos dramáticos. Dezenas de inquilinos foram despejados do bairro de Santa Filomena, na Amadora, e decidiram acampar em frente à sede do partido, como forma de protesto ao que afirmam ser "um atentado aos direitos humanos". Entre as vozes do protesto destacou-se uma mulher grávida, Jaqueline Pina, que questionou se esta acção aconteceu por ela ser de cor. O PS já reuniu com os moradores, mas a situação está longe de estar resolvida.

Jaqueline Pina, em declarações ao semanário Sol, não conseguiu controlar as emoções e acusou a Presidente da Câmara da Amadora e candidata do PS, Carla Tavares, de ter uma atitude desumana e perguntou se o despejo estava relacionado com a sua raça. Por Carla Tavares ser do Partido Socialista, os moradores decidiram fazer esta #Manifestação à porta da sede do PS, no Largo do Rato, com o objectivo de serem ouvidos e de reclamarem os seus direitos.

"Estou grávida de sete meses e ainda tenho uma filha de cinco anos, mesmo assim sem dó nem piedade obrigaram-me a abandonar a minha casa, arrombando a porta e levando as minhas coisas. Estou desesperada, o meu marido também está desempregado. Será que nos fizeram isto por sermos de cor?", questionou Jaqueline Pina aos jornalistas presentes. Para além dos moradores despejados, algumas fundações e instituições de apoio a cidadãos que são expulsos das suas próprias casas, como é o caso da Habita, participaram na manifestação, levando uma tenda vermelha, como referência às cores do Partido Socialista.

Os moradores e a responsável pela instituição Habitat, Rita Silva, acabaram por ser recebidos e ouvidos pelo PS, mas a situação no bairro de Santa Filomena é gravíssima, não garantindo sequer as condições básicas de segurança. "O que a Câmara da Amadora e a de Lisboa fizeram a estes moradores é desumano, um autêntico atentado aos direito humanos. Vamos lutar para que mais situações destas não aconteçam", garantiu Rita Silva ao semanário Sol, claramente sensibilizada pelas pessoas que se manifestaram durante horas à frente da sede do PS, em Lisboa. #Causas