Continuam a aumentar os números de mortes por #Violência doméstica em Portugal. Em 2015 são já 16 os casos de vítimas mortais. O último dos quais aconteceu na noite de terça para quarta-feira, mas a notícia só foi conhecida durante a hora de almoço desta quarta-feira. Foi o sobrinho do alegado agressor que estranhou não ver o tio, José Afonso, e terá chamado a GNR. O que se seguiu foi o desvendar de um cenário de tragédia: José Afonso de 51 anos terá morto, com tiros de caçadeira, a namorada Ana Alves, suicidando-se de seguida, com a mesma arma. 

Estas são as primeiras conclusões de uma investigação que vai prosseguir agora. Os corpos foram encontrados, já sem vida, numa casa na localidade de Rólia, em Mafra. Ana Alves era empregada de escritório e tinha 51 anos, enquanto José Afonso era um pedreiro de profissão, de 48 anos de idade. A relação amorosa já durava há algum tempo e ambos tinham filhos, já adultos, de relações anteriores. Segundo os relatos de alguns vizinhos e familiares, o casal mantinha uma relação discreta, mas aparentavam dar-se muito bem. Para já, a população vizinha não esconde a admiração pelo sucedido e mostram-se mesmo bastante chocados. 

Junto à habitação onde jaziam os corpos do casal a GNR encontrou algumas vestes e pertences de Ana Alves no carro, indiciando que esta se preparava para colocar um ponto final na relação que mantinha com José. Uma hipótese que ganha força com as declarações de alguns vizinhos que confirmaram uma zanga recente entre o casal. "Eles tinham-se zangado aí há um mês, mas depois fizeram as pazes", contaram os moradores da aldeia, citados pelo Jornal de Notícias

Os mesmos vizinhos contaram que Ana vivia e trabalhava na zona de Sintra e que só se deslocava a Rólia aos fins-de-semana, quando passava mais tempo com o namorado, José Afonso. Durante a semana o homem vivia sozinho. 

Temendo o fim da relação, José Afonso terá morto a companheira com tiros de caçadeira, suicidando-se de seguida. Segundo alguns depoimentos, esta não terá sido a primeira tentativa de suicídio deste homem. "Tentou pelo menos uma vez, com veneno", contou um vizinho, citado pelo Jornal de Notícias, adiantando ter sido também na sequência de um fracasso amoroso. 

Esta foi já a 16ª vez que uma mulher perdeu a vida nas mãos do companheiro, em Portugal, em 2015.  #Crime