Uma mala com um cadáver em avançado estado de decomposição foi encontrada na tarde deste sábado, 17 de Outubro, no concelho de Loures. O achado macabro foi feito por um grupo de jovens que estava a fazer BTT alertado pelo cheiro nauseabundo. A mala estava abandonada num terreno baldio, no interior de um buraco e tapado com pedras. A Guarda Nacional Republicana (GNR) e a #Polícia Judiciária (PJ) estão a desenvolver diligências no sentido de investigar aquele caso e, sobretudo, identificar o cadáver. Inicialmente suspeitava-se que seria uma criança, mas a GNR já confirmou que é de um indivíduo do sexo masculino, adulto.

Seria uma tarde de sábado normal para um grupo de jovens que habitualmente se junta para praticar BTT na zona de Lousa, no concelho de Loures, às portas de Lisboa. No entanto, o convívio desportivo acabou por dar origem a um mistério, à boa maneira das séries policiais e de investigação. Os jovens foram alertados pelo cheiro nauseabundo presente num terreno baldio e perante a estranha situação foram averiguar. Acabaram por encontrar uma mala de viagem, no interior de um buraco e tapada com pedras, como sendo a origem do mau cheiro. Alertaram o pai de um deles, que imediatamente comunicou o caso às autoridades.

Quando a Guarda Nacional Republicana chegou ao local, encontrou no interior da mala um saco de plástico contendo um cadáver em “avançado estado de decomposição” e já em “elevado estado de putrefação”. Uma situação horrenda que não permitiu aos militares se se tratava de um homem ou mulher, ou mesmo apontar a idade aproximada. Aliás, as primeiras notícias veiculadas davam conta que se tratava dos restos mortais de uma criança. No entanto, a GNR já esclareceu que foi uma informação errada, tendo em conta o estado em que se encontrava o cadáver. Apesar da confirmação só poder ser feita pela autópsia a realizar pelos peritos forenses do Instituto de Medicina Legal, para onde foi transportado o corpo, a Guarda adiantou que deverá ser de um individuo do sexo masculino.

A investigação está a cargo da Polícia Judiciária cujos inspectores estiveram no local até à noite, tendo o cadáver sido removido já depois das 21 horas. #Crime