O evento, que já acontece pelo sexto ano consecutivo, e que conta com a participação de autores, editores independentes e livreiros especializados em publicações fotográficas, tem como objetivo ser “um espaço experimental de exposição, venda, discussão e debate em torno do livro de fotografia e das diferentes formas que este pode assumir”, refere Fabrice Ziegler, coordenador geral da feira.

Criada em 2010 por um grupo de fotógrafos, com o nome "Novos Suspeitos", em conjunto com o então Diretor Artístico da Fábrica do Braço de Prata, Fabrice Ziegler, o evento quer reforçar o parceria com o Arquivo Municipal de Lisboa, “que esteve presente desde o início da feira”, diz Pedro dos Reis, um dos membros da organização do evento.

Esta edição irá contar com variados micro-eventos abertos ao público em geral, que vão desde conferências com artistas, fotógrafos e especialistas da área, a workshops sobre a autoedição ou o fotolivro. O trabalho de autor, que é uma das raízes do projeto, terá este ano um lugar de destaque – o número de participações superou o habitual. A par das apresentações de maquetes e #Livros para venda, a feira terá também um espaço para que os autores possam apresentar os seus trabalhos e assim ganhar maior proximidade com o seu potencial público.

 “A feira é um espaço de contacto entre autores, editoras e livreiros com o público em geral - mais ou menos específico e que se tem notado estar a crescer. São três dias com uma programação diversa e atraente a várias camadas etárias e entusiastas”, afirma Pedro dos Reis.

O organizador destaca ainda que a organização da feira tem feito um esforço por aproximar o panorama nacional a outros internacionais, tendo por isso, na edição de 2014, convidado a Lituânia a participar no evento. Este ano, o convite foi para outro país de língua portuguesa, o Brasil, existindo por isso uma forte presença de autores e trabalhos brasileiros nesta edição.

A Feira do Livro de Fotografia de Lisboa, de entrada livre, estará aberta a partir de sexta-feira (dia 27) das 16h00 às 21h00, sendo que sábado e domingo (dias 28 e 29) abre às 11h00 e encerra às 19h00. O evento é um dos muitos que vão encher Lisboa nos próximos dias.  #Artes