Iniciou-se esta terça-feira, 1 de Março, uma campanha de recolha de bens que visa juntar principalmente roupas de adulto e criança, brinquedos, produtos de higiene e bens alimentares não perecíveis, que serão entregues aos refugiados acolhidos no centro de acolhimento temporário em Lisboa. O vereador dos Direitos Sociais da Câmara Municipal de Lisboa, João Afonso, confirma a vinda de 10 refugiados para o centro de acolhimento. O objectivo da campanha será dar as melhores condições possíveis àqueles que, segundo o autarca, "vêm com pouco mais do que a roupa que trazem no corpo".

A campanha para a recolha de bens irá decorrer até ao dia 1 de Abril. A doação dos bens deverá ser feita nos quartéis do Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa entre as 9h00 e as 22h00. Será a Câmara Municipal de Lisboa a distribuir os bens recolhidos pelos refugiados recém-chegados.

O Centro de Acolhimento Temporário para Refugiados, localizado no Lumiar, prevê a permanência de cada pessoa entre uma a três semanas. Após esse tempo, será reencaminhada para uma solução definitiva para poder fazer uma vida normal. Segundo o vereador, é importante que a recolha de roupas e de comida seja feita rapidamente, pois são os bens que farão mais falta no momento em que os refugiados saírem do centro de acolhimento e forem para as casas que lhes forem atribuídas. 

De relembrar que a crise da vinda de refugiados das zonas de conflito do Médio Oriente para a Europa tem vindo a crescer ao longo dos meses. Nos últimos dias, têm vindo a multiplicar-se as ondas de violência entre migrantes e as autoridades dos países que erguem vedações na tentativa de impedir a entrada destes. Cerca de sete mil migrantes estão a tentar passar a fronteira greco-macedónia para se dirigirem para a  Alemanha. Com a Macedónia de "portas fechadas", os refugiados vêm-se obrigados a dormir ao relento pelas ruas de Atenas ou em edifícios públicos da capital grega. O governo grego conta com cerca de 22 mil migrantes presos no seu país devido ao encerramento da fronteira macedónia. #Emigração #Causas #Autarquias