Uma menina com apenas seis meses morreu ao princípio da tarde desta quinta-feira, 22 de Setembro, pouco depois de ter sido deitada num berço para fazer uma sesta. A tragédia aconteceu num infantário da região de Lisboa e está a ser investigado pelas autoridades. A bebé foi encontrada em paragem cardiorrespiratória por uma auxiliar do estabelecimento infantil quando procedia a uma rotina de observação das crianças. O caso está a ser investigado pelas autoridades.

Desconhecem-se, para já, as causas da morte da bebé que depois de ter almoçado foi deitada no berçário para fazer uma sesta, como habitualmente. Segundo informações apuradas pelos jornalistas, não são conhecidos episódios de doença da menina que poderiam justificar aquela tragédia que gerou uma onda de consternação e de choque junto dos funcionários e dos pais das restantes crianças que frequentam aquele infantário localizado na Buraca, no concelho da Amadora.

Segundo informações apuradas, a bebé de seis meses terá almoçado normalmente. A auxiliar mudou-lhe a fralda e deitou-a na sala de repouso para fazer uma sesta. Uma rotina diária que é também cumprida com outras crianças que frequentam o mesmo infantário. Pouco tempo depois, numa visita de rotina pelas crianças, a auxiliar deparou-se com aquela bebé com sintomas de paragem cardiorrespiratória tendo de imediato dado alerta de emergência.

Ao local deslocaram-se os bombeiros que solicitaram, ainda, auxílio ao Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) que accionou uma Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER). Apesar dos esforços e das manobras de reanimação, os socorristas não conseguiram reverter a situação, tendo sido confirmado o óbito. O corpo viria a ser transportado para o Instituto de Medicina Legal para ser autopsiado.

Será o resultado da autópsia forense que poderá ajudar as autoridades a esclarecer as causas da morte da criança. A trágica ocorrência foi registada pela Polícia de Segurança Pública que esteve no infantário que, entretanto, contactou os pais e familiares das restantes crianças no sentido de aqueles as irem buscar. #Casos Médicos #Óbito