Em homens fugiram na madrugada deste domingo, 19 de Fevereiro, do Estabelecimento Prisional de Caxias, na região de Lisboa, através de uma janela da respectiva cela, após terem serrado as grades. Os indivíduos com 29 e 30 anos estavam presos preventivamente a aguardar pela realização de julgamento. São dois cidadãos chilenos e um português indicados pela prática de crimes de furtos e roubo. As autoridades policiais montaram, de imediato, uma operação de caça ao homem.

As causas e as circunstâncias em como ocorreu a evasão dos detidos deverão ser apuradas pelo Serviço de Auditoria e Inspecção da Direcção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais, no âmbito de um processo de averiguação que foi instaurada. Sabe-se apenas que os três reclusos, dois cidadãos de nacionalidade chilena com 29 e 30 anos, e um português com 30 anos, ocupavam a mesma cela, juntamente com um quarto detido, que não participou na fuga. A fuga estaria a ser preparada pelos detidos desde há algum tempo, uma vez que, segundo alguma imprensa, os mesmos já teriam tentado, pelo menos por duas vezes, a fuga daquele estabelecimento prisional do concelho de Oeiras, distrito de Lisboa.

A evasão pela janela da cela foi confirmada através de um comunicado emitido pela Direcção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais, adiantando que os três indivíduos encontravam-se detidos a aguardar pela realização de julgamento judicial pela prática de crimes de furtos e roubos, mas em “processos criminosos distintos”. Logo que foi conhecida a fuga dos homens, o que terá acontecido por cerca da uma hora da madrugada deste domingo, o caso foi comunicado, de imediato, às diversas forças policiais – Guarda Nacional Republicana, #Polícia de Segurança Pública e Polícia judiciária – a quem foi remetida, igualmente, fotografias dos evadidos.

De referir que o Estabelecimento Prisional de Caxias, localizado em Paço de Arcos, concelho de Oeiras, constituído por duas zonas prisionais (Norte e Sul) independentes entre si, está vocacionado para reclusos preventivos, estando classificado como de segurança alta. #Justiça