Um bebé de apenas oito meses de idade morreu na manhã desta quinta-feira, 10 de Março, numa creche em Arroios, no centro de Lisboa. A tragédia aconteceu cerca de duas horas depois de o pai da criança a ter deixado, como habitualmente, no infantário. A instituição contactou, de imediato, os pais das restantes crianças para as irem buscar. O cadáver da criança foi removido durante a tarde por agentes da Polícia de Segurança Pública e transportado ao Gabinete de Medicina Legal e Forense. A mãe do bebé ficou em estado de choque e teve de ser transportada ao hospital.

Publicidade

Como habitualmente, o menino foi deixado pelo pai, no início da manhã, no Centro Escolar Dr. Salgueiro de Almeida, localizado no Largo de Santa Bárbara, na freguesia de Arroios (Lisboa). Contudo, cerca de duas horas mais tarde, as funcionárias da instituição alertaram para o facto de a criança não estar a respirar. O Instituto Nacional de Emergência Médica (#INEM) enviou para o local uma ambulância, uma moto de prestação de serviço de emergência e uma Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER), afecta ao Hospital de São José. Apesar do rápido socorro, a criança já não apresentava sinais vitais, havendo indícios de ter sido “vítima de doença súbita”.

A presidente da Junta de Freguesia de Arroios, Margarida Martins, referiu ao jornal Público, que foi enviada para a instituição uma equipa de técnicos das áreas Social e de Educação para prestar o apoio necessário, mas já não se encontrava ninguém responsável. Isto, porque perante o trágico acontecimento, o Centro Escolar Dr. Salgueiro Almeida contactou os pais e familiares das restantes crianças para as irem buscar, suspendendo as suas actividades e encerrando os serviços. A vítima será filha única de um casal jovem, não tendo registos de quaisquer problemas de saúde. Ao receber a notícia da morte do seu filho, a mãe ficou em estado de choque, tendo sido transportada ao hospital para ser acompanhada.

O cadáver da criança foi removido do interior da instituição de ensino já depois das 15 horas, por agentes da Polícia de Segurança Pública, tendo sido transportado para as instalações do Instituto de Medicina Legal. As causas da morte não foram divulgadas, estando ainda a ser apuradas, embora os indícios possam restar relacionados com “causas naturais”. #Óbito #Casos Médicos