Uma aeronave despenhou-se ao final da manhã desta segunda-feira, 17 de Abril, numa zona residencial do concelho de Cascais (Lisboa) provocando a morte dos quatro tripulantes e uma outra pessoa que estava no solo. O aparelho bimotor, modelo Cheyenne II, tinha acabado de descolar do Aeródromo de Tires e, iria fazer uma viagem de regresso à Suíça. Na sequência daquele acidente, nove pessoas ficaram desalojadas, tendo sido acolhidas em casas de familiares. Logo que foi dado o alerta, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, deslocou-se ao local.

Publicidade

Eram cerca das 12 horas, quando a aeronave, de matrícula suíça, despenhou-se junto à zona de descargas de um supermercado, localizado num bairro residencial, daquela freguesia de São Domingos de Rana. O aparelho caiu sobre a galera de um veículo pesado de mercadorias que se encontrava no local, provocando um incêndio nas traseiras de uma habitação próxima do local.

Publicidade

As vítimas mortais são os quatro tripulantes da aeronave (três pessoas francesas e uma suíça) e uma outra que se encontrava junto do armazém da superfície comercial. Uma mulher que estava no terraço da sua habitação com um neto de dois anos conseguiu escapar a tempo com a criança, bem como o marido. No entanto, o casal teve de ser encaminhado para uma unidade hospitalar com traumatismos de natureza emocional, e como meio de precaução. Há, ainda, o registo de outros quatro feridos, considerados ligeiros, devido à inalação de fumo.

Foram várias as testemunhas que relataram aos jornalistas terem ouvido um barulho estranho nos motores da aeronave, assim como um rasto de fumo negro. Já depois da queda, foram ouvidas novas explosões. Os primeiros meios de socorro a chegarem ao local, foram dois veículos de combate a incêndios do Aeródromo de Tires, que começaram a actuar de imediato no combate ao incêndio que deflagrou na habitação atingida.

Publicidade

Em poucos minutos, foram chegando ao local restantes meios de socorro, de várias corporações de bombeiros. Segundo a Autoridade Nacional de Protecção Civil, no local estiveram uma centena de operacionais auxiliados por três dezenas de veículos.

Para se inteirar do sucedido e da forma como estavam a decorrer as operações de socorro, esteve o Presidente da República. Marcelo Rebelo de Sousa, que não prestou declarações aos jornalistas, fez questão de contactar pessoalmente com alguns dos moradores e funcionários do supermercado. Já, após almoço, esteve também no local o secretário de Estado da Saúde, Manuel Delgado. A investigação sobre as causas, e em que circunstâncias ocorreu o acidente, está a cargo de diversas entidades, como a Polícia Judiciária e o Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários. #Acidente de Aviação