Monteiro é o nome do agente da Polícia de Segurança Pública (PSP) que foi atropelado ao final da tarde deste último sábado (8 de Julho). Tem 25 anos de idade e encontrava-se simplesmente a caminhar na rua Professor Vieira Natividade, em Telheiras, Lisboa. Mas o agente Monteiro não foi o único a ser atropelado. Também duas crianças, que naquela altura andavam de bicicleta no mesmo passeio, foram atingidas. As crianças são irmãos gémeos, com 10 anos. Segundo algumas testemunhas, o condutor ainda embateu numa paragem de autocarro, além de atropelar as três vítimas e de fugir, deixando-as caídas e sem socorro.

O condutor fugiu mas acabou por se entregar

Foi um condutor de um Opel Corsa que avançou contra essas três vítimas, atropelando-as, e se colocou em fuga logo de seguida.

Publicidade
Publicidade

Entretanto, este domingo (9 de Julho), durante a manhã, o condutor acabaria por se entregar na esquadra de Telheiras, segundo a informação avançada pelo Correio da Manhã na sua edição informativa de domingo (10 de Julho).

Estado de saúde das três vitimas

Devido às lesões sofridas, o agente da PSP e os dois irmãos gémeos tiveram mesmo que ser levados para o Hospital de Santa Maria, em Lisboa, para tratamento médico adequado. Até à tarde de domingo encontravam-se ainda internados devido a lesões sofridas na cabeça, que requerem alguma vigilância e inspiram alguns cuidados. Tal como por vezes acontece nas vítimas de traumatismos crâneo-encefálicos, o agente apresenta amnésia.

Pena que incorre o condutor que atropelou o polícia e as duas crianças

O condutor além de incorrer na prática do crime de ofensas à integridade física por negligência, pode ainda vir a responder por outras infracções rodoviárias.

Publicidade

Para o crime de ofensa à integridade física por negligência, a pena vai até dois anos de prisão ou 240 dias de multa.

Apelos para identificação do condutor no Facebook

Ainda durante este domingo, várias pessoas colocaram um apelo na rede social Facebook para a identificação do condutor, tendo inclusive colocado a matrícula do Opel Corsa para facilitar o trabalho da polícia.

Aguarda-se agora pelo desenvolvimento normal das investigações que pretendem apurar todos os factos e responsabilidades. Entretanto, o condutor, que já se entregou, aguarda agora ser presente a um juiz para um primeiro interrogatório judicial e para tomar conhecimento da respectiva medida de coacção que lhe irá ser aplicada. #Atropelamento #policias #sociedade