A ilha da Madeira é muito conhecida pelos seus vastos e acessíveis canais de água artificiais, as levadas. A palavra levada provém do verbo levar, que significa transportar. A construção destes cursos de água iniciou-se no século XV, com o objetivo de "levar" a água do Norte da ilha, onde esta existia em abundância, para as terras agrícolas do Sul. Estes túneis e canais eram cavados e feitos com uma ténue inclinação, para que a água fluísse em direção as vertentes mais baixas do Sul. Estes pequenos aquedutos são da responsabilidade dos levadeiros, que estão encarregues de distribuir a água de rega pelas terras da região. Também estão incumbidos da limpeza, conservação e manutenção das mesmas. Esta profissão é uma das mais antigas do arquipélago, fazendo parte da sua história e tradição.

Hoje em dia existem na Madeira mais de duzentas levadas; as mais frequentadas e apreciadas pelos turistas que visitam a ilha são: 25 Fontes, Rabaçal, Caldeirão do Inferno, Caldeirão Verde, Balcões e Risco.

A levada do Caldeirão Verde insere-se no conjunto de maravilhas da cidade de Santana e é considerada uma das levadas mais bonitas de todo o arquipélago. Ao longo do trilho deparamo-nos com belas paisagens e instantes soberbos: o verde da preciosa Floresta Laurissilva, o som dos passarinhos e da água a cair encosta abaixo. Encontramos quatro túneis até chegar à tão desejada cascata do Caldeirão Verde, onde podemos descansar e relaxar, desfrutando daquela beleza natural e deslumbrante.

A levada do Rabaçal - 25 Fontes começa no Paúl da Serra (zona do Rabaçal). A partir daí somos brindados com a vista de um dos vales mais formosos da "Pérola do Atlântico", o vale do Rabaçal. No decorrer do trajeto deparamo-nos com a cascata do Risco, a queda de água que forma uma espécie de risco na rocha. Ao descer encontramos a levada das 25 Fontes e a sua lagoa, onde podemos contar mais de vinte e cinco pequenas quedas de água e fontes.

Andar nestes trilhos é a melhor forma de descobrir o encanto do "Jardim Flutuante do Atlântico", e respirar o ar puro da Floresta Laurissilva da Madeira, considerada em todo o mundo como a maior do seu género, visto que cobre uma área de 15,000 hectares. A ilha é muita rica no que respeita à sua biodiversidade, tendo sido considerada em 1999 como Património da Humanidade pela UNESCO. #Turismo