Miguel Albuquerque tinha a responsabilidade de dar continuidade ao 'legado' deixado por Alberto João Jardim. O atual líder do PSD não desiludiu e foi o grande vencedor das #Eleições da Madeira. A 11ª vitória do partido social democrata adiou assim a 'mudança' pedida pela oposição. O PSD de Miguel Albuquerque elegeu 24 dos 47 deputados regionais, com 44,33% dos votos. É mais uma vitória esmagadora para a principal força política na ilha, depois de 37 anos de liderança de Alberto João Jardim.

Do outro lado, está o partido socialista, o grande derrotado da noite eleitoral. Mesmo em coligação, o PS não conseguiu ultrapassar os 11% de votos reunidos. No geral, a moldura manteve-se na ilha da Madeira: o CDS-PP continua a ser o segundo partido mais votado, com sete deputados eleitos (13,69% dos votos).

Ainda assim, o terceiro lugar foi mesmo para a coligação 'Mudança', liderada pelo PS, com 11,41% dos votos. Conseguiu eleger seis deputados. Devido à pesada derrota, o líder do partido na região demitiu-se, afirmando ainda na sede de campanha: "assumo aqui que esta estratégia foi definida por mim e apresento hoje a minha demissão do Partido Socialista/Madeira". Mas se a coligação 'Mudança' foi a grande derrotada da noite, a grande surpresa foi também uma outra coligação, desta vez a 'Juntos pelo Povo' (JPP). Reuniu 10,34%, elegendo também seis deputados.

O quinto lugar foi para a CDU, com 5,54% dos votos e dois deputados regionais eleitos, os mesmo que o Bloco de Esquerda (com apenas 3,8% dos votos). O PND de José Manuel Coelho apenas elegeu um deputado. Nestas eleições regionais eram 11 as forças políticas que estavam a votos. Oito eram partidos (PSD, BE, CDS, JPP, PND, MAS, PNR e PCTP/MRPP) e três coligações - Mudança (PS/PTP/MPT/PAN), Plataforma de Cidadãos (PPM/PDA) e CDU (PCP/PEV).

Recorde-se que as eleições foram antecipadas devido ao pedido de exoneração de Alberto João Jardim. O ex-líder social-democrata abandona o governo da madeira quase 40 anos depois de maiorias absolutas. No entanto, o PSD-Madeira pode perder a maioria absoluta, dependendo dos resultados da nova contagem que ainda está a decorrer. Basta que o CDS consiga mais cinco votos.