A Representação da Comissão Europeia em Portugal, juntamente com o Governo Regional da Madeira e a Associação do Comércio e Indústria do Funchal (ACIF), organizam hoje e amanhã (dias 13 e 14 de julho) uma conferência subordinada ao tema "Como é que a Europa investe na Madeira?".

A conferência tem como objetivo não só divulgar os mecanismos de investimentos disponíveis a nível europeu, nomeadamente o Horizonte 2020 e os Fundos Estruturais e de Investimento, mas também aproximar os cidadãos europeus de uma região ultraperiférica às instituições europeias.

Estendendo-se por dois dias, a conferência organizada pela Representação da Comissão Europeia conta com a participação de vários altos funcionários europeus, em representação das suas instituições. Destes altos funcionários da Comissão Europeia destacam-se representantes da Direção-Geral para Pesquisa e Desenvolvimento, da Direcção-Geral da Política Regional e Urbana, da Direcção-Geral de Emprego, Assuntos Sociais e Inclusão, da Direcção-Geral da Agricultura e da Direcção-Geral dos Assuntos Marítimos e Pescas. Para além da Comissão Europeia, estão ainda presentes na conferência o Governo Regional da Madeira e o Banco Europeu de Investimento.

Aquando da sessão de abertura da conferência, o Representante da Comissão Europeia em Portugal, João Tatá dos Anjos, afirmou que é prioritário informar os agentes económicos das ferramentas de investimento existentes à disposição dos mesmos, como forma de contornar a crise despoletada pelo setor financeiro e bancário. 

Por seu turno, Rita Fortunato Faria, assessora para informação e comunicação da Representação da Comissão em Portugal, afirma que a Madeira é rica em talento e tem todo o potencial, quer em termos de recursos humanos, quer em termos de tecido empresarial, para se candidatar aos fundos europeus e tirar o maior partido possível dos mesmos.

Já o Secretário Regional da Educação, em representação do Governo Regional, aproveitou a abertura da conferência para, uma vez mais, passar a mensagem do PSD-Madeira de que a União Europeia é um garante de paz, democracia e desenvolvimento económico que não pode ser ignorado, numa alusão indirecta aos movimentos populistas que fomentaram o Brexit. #Negócios #Política Internacional