A Apple, gigante mundial da tecnologia, é a empresa mais valiosa da História e a primeira a conseguir valorizar-se acima dos 700 milhões de dólares, facto alcançado em Fevereiro de 2015. Fundada em 1976 por Steve Jobs, Steve Wozniak e Ronald Wayne, a Apple veio a afirmar-se após o ano 2000 como líder mundial em electrónicos de consumo, além do desenvolvimento de software exclusivo. Falecido em 2011, Steve Jobs foi o grande génio visionário por trás do sucesso da "sua" Apple, tendo sido reconhecido em vida como um dos empresários mais brilhantes da sua geração. Jobs lançou as bases para computadores únicos, aplicando os conceitos de ultra-perfeição e exclusividade, além da aplicação do seu princípio filosófico de tentar criar na prática aquilo que ainda não se viu, trazer os sonhos e a imaginação para a realidade. Os utilizadores de produtos Apple (hardware ou software) sublinham que, pelo design, pela facilidade de utilização, pela qualidade, é difícil reverterem para outras marcas.

A Apple criou, nos anos 80, o Macintosh, computador que se tornou um padrão de qualidade para a época. O período em que Jobs esteve ausente da empresa (depois de ter sido "expulso" em 1985, até ao regresso em 1997) correspondeu ao período de menor fulgor da companhia. Quando regressou, a Apple atravessava uma crise de resultados e de confiança; perdera o comboio do sistema operativo (Windows) e os seus computadores não eram competitivos nem apelativos para o grande público. Contudo, em uma década, Jobs concluiu a revolução que tinha imaginado. Primeiro foi o iPod, o leitor de música em formato electrónico que se tornou um sucesso mundial. Depois, o iPhone, o primeiro smartphone na verdadeira acepção do termo, incorporando capacidade de processamento, ligação à internet e um ecrã touch para usar facilmente com o dedo. O sucesso do iPhone marcou o rumo dos smartphones. Depois ainda, o iPad, o primeiro tablet: Jobs entendia que havia espaço para um mini-computador com um "enorme" ecrã touch. Tal como o iPhone, o iPad definiu o rumo e hoje as marcas acotovelam-se para desenvolver tablets que melhorem o conceito original de Jobs.

Muitos temeram, quando Jobs abandonou as operações no início de 2011, que a Apple viesse a sofrer em termos de criatividade e capacidade de adaptação ao mercado. Nem todos os produtos subsequentes da empresa tiveram o mesmo sucesso, como foi o caso do iPhone 5C. Contudo, sob a liderança de Tim Cook, a empresa continua a fazer a diferença e a manter a sua base de clientes-fãs dedicados. Novos produtos, como o Apple Watch, e as novas versões do iPhone (iPhone 6 e iPhone 6 Plus) são exemplos da renovada capacidade de inovação da marca da "maçã", que irá certamente continuar na linha da frente da tecnologia.