O atletismo é o desporto organizado que há mais tempo se pratica, sendo historicamente seguro afirmar que já se praticava há mais de 2500 anos, na Grécia clássica. É composto por saltos, lançamentos e corrida, havendo quem o defina como a expressão máxima do que é a actividade desportiva, na sua versão mais pura, uma vez que é apenas a extensão dos limites do corpo que está em causa, sem ser necessário o controlo de uma bola, de uma raquete, bastão ou bicicleta. O atletismo foi uma das bases para o estabelecimento dos Jogos Olímpicos modernos, em 1896, no sentido em que se procurava emular o espírito dos jogos praticados na Antiguidade, que já incluíam provas das três vertentes. A modalidade continua a ser a mais representativa e simbólica das Olimpíadas, pese a grande variedade de desportos incluídos.

O desporto é geralmente praticado num estádio, com a pista exterior utilizada para corridas e as restantes modalidades sendo praticadas na área interior. A excepção é feita para a maratona, o corta-mato e, naturalmente, para a organização de meias-maratonas ou outros eventos específicos que possam percorrer as ruas de uma cidade ou ligar cidades. Num estádio, o público pode ver os atletas das várias modalidades a praticar em simultâneo.

As diversas variantes incluem, no caso do salto, o vertical (em altura e com vara), e horizontal (em comprimento, onde se destacou Naide Gomes, e triplo salto, especialidade de Nélson Évora.) No lançamento vê-se quem consegue atirar mais longe o arremesso de peso, do martelo, do disco e do dardo. Mas é nas corridas que está o maior mediatismo da competição, não só nas provas de fundo (maratona, 10.000 metros, etc.) mas especialmente nas de sprint (100 metros, 200 metros, 400 metros.) O jamaicano Usain Bolt tornou-se o primeiro velocista a tornar-se bicampeão olímpico nas três modalidades, além de possuir os recordes de 100 e 200 metros e dos 400 metros estafetas com a selecção do seu país, sendo também comparado aos desportistas mais célebres como os futebolistas Cristiano Ronaldo e Lionel Messi.

O atletismo é uma das modalidades onde Portugal tem conseguido melhores resultados, quer a nível olímpico quer a nível de campeonatos mundiais - ainda que esteja longe de rivalizar com as grandes potências do desporto. Das 23 medalhas olímpicas conquistadas por atletas portugueses até 2012, a maior contribuição veio desta modalidade, com 10. Todas as 4 medalhas de ouro foram conquistadas no atletismo, com Carlos Lopes (Maratona, 1984), Rosa Mota (Maratona, 1988), Fernanda Ribeiro (10.000 metros, 1996) e Nélson Évora (Triplo Salto, 2008). Os novos valores, como Patrícia Mamona e Yazaldes Nascimento, prometem continuar a tradição lusa no atletismo.