Funny Video é nada mais do que o reconhecimento de que ver pequenos clips de vídeo se tornou uma forma de entretenimento. Piadas, quedas, acidentes desastrosos, situações com figuras públicas e muitas outras situações sempre foram motivo de riso, desde o surgimento da câmara de filmar. No início dos anos 90, a RTP criou o programa de humor simples "Isto, Só Vídeo!", que se dedicava precisamente a emitir pequenos trechos de filme enviados por cidadãos particulares para a emissora. Com a difusão do computador e da internet, este meio de entretenimento cresceu de forma exponencial.

Na viragem do milénio, os vídeos eram partilhados em ficheiros, como anexos de e-mail, o que facilitava de sobremaneira a sua difusão. Contudo, foi com o surgimento do Youtube que tal se tornou uma verdadeira "indústria". Além das situações involuntárias, pessoas por todo o mundo passaram a protagonizar, de forma propositada, situações cómicas que pudessem ser vistas por milhões em todo o mundo. Mais tarde, o advento das redes sociais (em especial o Facebook) veio dar ainda mais força - e facilidade de partilha - a este meio de entretenimento.

Em Portugal, um dos "funny vídeos" mais célebres foi protagonizado por Hélio, jovem de Caldas da Rainha com 27 anos à data do acontecimento, conhecido como "Hélio Imaginário" (pelo nome da aldeia onde os seus pais possuem um restaurante, a 3 km da cidade). No vídeo, Hélio tenta controlar um skate numa estrada aberta em descida acentuada, sem qualquer apoio extra ou travão, até acontecer o inevitável despiste incontrolado contra a vegetação na berma. Incrivelmente, o protagonista saiu ileso.

No vídeo, é visível que Hélio esteve muito próximo de embater num automóvel ligeiro que circulava em sentido contrário; mais grave ainda, sabendo que o "skater" referiu mais tarde nem se ter apercebido desse automóvel. Ficaram célebres (tornando-se bordões populares) as expressões ditas por Hélio no vídeo, nomeadamente "o medo é uma cena que a mim não me assiste", em jeito de auto-encorajamento antes de começar a perigosa descida, e "sai da frente Guedes", pedindo ao condutor da carrinha onde outro colega o filmava, e que seguia à frente do skate, para acelerar e lhe dar espaço. Em resultado da fama, Hélio fez alguns anúncios e chegou a participar num reality-show.

Outro famoso "funny vídeo", neste caso involuntário, criou-se com o discurso de Paulo Futre durante a campanha eleitoral para as eleições no Sporting Clube de Portugal, em 2011. Apoiante de Dias Ferreira, "El português" falou de uma forma ao mesmo tempo apaixonada e desconexa, deixando frases fortes como "temos de comprar o melhor jogador chinês da actualidade", porque "vai vir charters". Mais tarde, reconheceu-se que Futre teria razão; vários clubes europeus (como o Manchester United) já integravam jogadores asiáticos com o objectivo de captar adeptos e mercado na Ásia, e o próprio Sporting CP integrou jogadores da China e da Índia. Contudo, no calor do momento, o que ficou foi o tom e o estilo quase ridículos do ex-jogador - que "recobrou" o seu estatuto de figura pública em Portugal, depois de muitos anos onde era mais conhecido em Espanha, enquanto símbolo do Atlético Madrid. Em 2015, e ainda graças à fama desse vídeo, Futre faz anúncios a uma marca de produtos para-farmacêuticos contra impotência sexual masculina.