A consulta regular e quotidiana de alterações à legislação é um imperativo de cidadania dos tempos actuais. As sociedades modernas adoptam o Estado de Direito, o que significa que o conjunto das relações sociais (em termos políticos, económicos, familiares, fiscais, etc.) é regido e regulamentado pela Lei. O desconhecimento da lei nunca pode ser alegado como motivo para o seu incumprimento. Deste modo, para qualquer cidadão de uma sociedade moderna, o conhecimento da legislação e das suas evoluções e alterações é um elemento essencial da vivência dos cidadãos no espaço público.

A defesa da lei pode caber igualmente ao Ministério Público, enquanto representante do povo através do Estado, nos casos em que o interesse público, e de acordo com a lei, o determine. É o caso da violência doméstica, considerada um crime público, e que dispensa a denúncia por parte de um cidadão para que as autoridades possam actuar.

Os temas relacionados com legislação são habitualmente, também, temas de grande interesse para o conjunto da sociedade. Por exemplo, para os menores de idade nascidos por volta de 1998 e 1999, o consumo de vinho e cerveja, que estava legalizado, deixou de o ser a partir de 1 de Julho de 2015, com a adopção de nova legislação proibindo a venda e o consumo a menores. E mesmo em áreas de actividade humana mais "recentes", como é o caso da internet e das novas tecnologias, a regulamentação acaba por chegar. Se nos primeiros tempos a criação de um blogue pouco mais era que uma experiência cultural e tecnológica partilhada com amigos, conhecidos e desconhecidos, cerca de uma década depois já existe legislação que regulamenta a forma como os bloggers podem gerir os seus verdadeiros negócios. Por outro lado, a nível internacional, são já várias as vozes que se levantam contra os perigos da ausência de regulamentação relativamente ao uso de drones - cujas capacidades técnicas actuais vão "obrigar" os governos a legislar nesse sentido.

Outros temas, por vezes designados como "fracturantes", revelam - como o termo indica - "fracturas" sociais relativamente à forma como diferentes indivíduos, grupos, comunidades ou classes encaram um determinado tema, jogando na mudança ou permanência da lei de forma a reflectir o seu ponto de vista. A evolução no conceito de família, como a legalização do casamento homossexual ou o debate em torno da adopção de crianças por homossexuais são temas centrais de debate político. Um outro, a criação gradual de um corpo legislativo relativo à protecção dos direitos dos animais reflecte uma mudança na sensibilidade social perante este tema - e muitos antevêem que o debate se venha a deslocar para a proibição da tourada por força de lei, algo que não seria imaginável há poucas décadas.