Luís Figo foi um dos melhores jogadores de futebol portugueses de todos os tempos. Criado nas escolas do Sporting Clube de Portugal, veio a jogar no FC Barcelona, Real Madrid FC e Inter de Milão, tendo ganho a Liga dos Campeões, 3 campeonatos de Espanha e 4 campeonatos de Itália, entre outros. A nível individual, Figo foi considerado o Melhor Jogador do Mundo pela FIFA em 2001, depois de ter ganho o Ballon d' Or em 2000, tendo sido considerado um dos "galácticos" do Real Madrid, juntamente com Beckham e Zidane. Foi também considerado o Jogador Português do Ano, tendo ganho de forma consecutiva as 6 últimas edições desse prémio, entre 1995 e 2000.

Na selecção nacional, Luís Figo é um dos melhores de sempre, tendo o recorde de internacionalizações pela selecção de futebol (com 127) e estando presente nos grandes momentos da selecção em 2000, 2004 e 2006 (as duas últimas ocasiões já partilhando o relvado com Cristiano Ronaldo) e tendo sido também campeão mundial de sub-20 em 1991. A nível internacional, "Figo" era sinónimo de "Portugal" na viragem do milénio - sinal inequívoco do imenso prestígio acumulado nas quatro linhas. A nível pessoal, casou com a modelo sueca Helen Svedin, de quem teve 3 filhas.

Luís Figo demonstrou desde sempre ser extremamente cerebral e racional, capaz de suportar todo o tipo de pressões, dentro e fora de campo. Enquanto jogador, destacou-se sempre, não apenas pela genialidade do drible ou do passe mas principal pela capacidade de leitura do jogo, dos companheiros e dos adversários, e pela capacidade de construção de jogo ofensivo. A par disso, revelou-se sempre imune a pressões externas. Prova disso foi a forma como, depois de se transferir do Barcelona para o Real Madrid (e depois de ter sido um símbolo do afecto dos adeptos catalães), enfrentava a ira e a fúria dos fãs do Barcelona quando defrontava a sua equipa, mantendo-se impávido e sem qualquer receio. Neste sentido, foi decisiva a sua presença de espírito quando, no jogo Portugal-Inglaterra do Europeu de 2000, e quando Portugal perdia por 2-0, arrancou sozinho para um golo magnífico que lançou a selecção nacional para uma vitória por 3-2 - e daí até às meias-finais.

Esta faceta do carácter de Luís Figo extrapolou para fora dos relvados, onde desde cedo revelou uma intensa e inteligente actividade empresarial, no sentido de lhe garantir bastante mais rendimento do que a simples subsistência para um futebolista aposentado. A hotelaria e turismo, o sector mineiro e os combustíveis, em Portugal e no estrangeiro, são apenas alguns dos exemplos. A par disso, manteve uma postura interventiva enquanto representante do futebol, tendo chegado a apresentar a sua candidatura à presidência da FIFA.

De forma inesperada para muitos mas condizente com o seu carácter, Figo veio a retirar a sua candidatura uma semana antes do sufrágio, alegando que "não seria um acto eleitoral normal". O tempo deu-lhe razão, pois logo depois rebentou o escândalo de corrupção em torno das altas figuras da FIFA, e provocando a demissão de Blatter. Apesar de ter recolhido críticas de Maradona por ter recuado, Figo respondeu ao astro argentino de forma clara e mantendo a sua posição e os seus princípios.