A música é uma forma de arte que usa, como principal elemento, o som. Mais concretamente, a música alude à prática de criar sons de um modo rítmico e intencional, organizando-os ao longo do tempo de forma a produzir um resultado auditivo coerente. Assim, entre os elementos que a caracterizam e definem, incluem-se o tom, o ritmo, a dinâmica, o timbre e a textura. A música é uma arte que pode ser manifestada tanto através do improviso (nomeadamente no jazz), como em obediência a um padrão fixo (exemplo da música interpretada através de partituras).

A maioria dos historiadores considera que a música é uma manifestação que sempre existiu (e que continua presente) em todas as culturas e sociedades humanas, independentemente da região do globo ou do seu nível civilizacional. Algumas teorias atribuem ao continente africano a origem desta forma de expressão, argumentando que esta se terá, posteriormente, propagado pelo resto da humanidade. Por causa desta abrangência, não existe uma definição totalmente consensual para o conceito de 'música'.

Apesar de ser uma manifestação cultural de enorme longevidade, são poucos os registos musicais de outros períodos da História a que hoje temos acesso. Entre os grandes compositores que sobreviveram ao rastreio do tempo, incluem-se nomes como Johann Sebastian Bach (1685-1750), Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791), Ludwig van Beethoven (1770-1827), Richard Wagner (1813-1883) ou Frédéric Chopin (1810-1849). Embora a humanidade tenha descoberto diversos modos de armazenar informações musicais de forma a permitir a sua posterior reprodução (por exemplo, através da anotação musical ou de mecanismos mecânicos), esta é uma realidade que se massifica apenas no século XX.

É a partir desse período que a música surge tal como a conhecemos. Com o avanço das técnicas de captação e reprodução desta manifestação artística (e através da popularização da rádio), a música passa a ser concebida como um produto patenteado por editoras e susceptível de ser divulgado e comercializado. Neste contexto, e dentro da chamada música popular ocidental (destinada a um público vasto e consumida para fins recreativos) surgem diversos estilos e manifestações estéticas, como os blues, a música jazz, a folk, o rock and roll, a electrónica, ou o hip-hop. Além disso, começam a surgir os tão conhecidos festivais de música que, ano após ano, trazem aos seus palcos artistas nacionais e internacionais.