Por aqui as Instituições Financeiras não são muito bem vistas, ora pelos juros altos, ora pelo pouco interesse nos problemas de seus clientes e por os verem somente como "um número", que tem que render sempre muito para elas. Fiquei impressionada quando vi nos jornais a notícia de um caixa eletrônico que deu presentes aos seus clientes mais velhos, pela sua fidelidade. Foi realmente comovente ver pessoas comuns, nenhuma celebridade ou milionário, ter seus desejos realizados, talvez impossíveis para que elas mesmas os realizassem naquele momento, mas pequenos demais para que um Banco os realizasse por eles. Em um mundo frio, principalmente quando envolve transações bancárias, dinheiro, juros, taxas disto e daquilo, um pequeno gesto pode gerar grande expectativa e felicidade, o enorme prazer de ser surpreendido, mas surpreendido para o bem, para o melhor, pois surpreendido negativamente, infelizmente somos todos os dias por alguém.

Publicidade
Publicidade

Mesmo estando a milhares de quilômetros do lugar onde o fato ocorreu, e só poder ver a imagem filmada, a alegria das pessoas envolvidas foi contagiante e não consegui conter um sorriso e o sentimento de felicidade que senti. Pequenos gestos são preciosos, mas parece que ficaram esquecidos através dos tempos. Imagens como estas, nem sempre são vistas e espero que ocorram com maior frequência.

O Banco em questão, foi o Toronto Dominion, que lançou a campanha "centrais de agradecimento aos clientes", novos caixas eletrônicos colocados nos Bancos com a finalidade específica de agradar. Mais de 1.000 agências foram envolvidas nesta campanha em todo o País, e aqueles que usaram os caixas eletrônicos foram presenteados com o equivalente a 45 reais cada.

Cerca de 20 clientes foram sorteados pelos gerentes de agências de Toronto, Montreal, Calgary e Vancouver, e convidados para testarem um novo caixa eletrônico e ao fazerem o teste tomavam um susto ao serem chamados pelo nome e ganharem além do dinheiro distribuído pelo Banco, presentes específicos e que atendiam suas necessidades pessoais.

Publicidade

Houve uma cliente que ganhou 2 passagens para Trinidad e Tobago, assim poderia ir visitar sua filha que acabara de ser operada de câncer. A máquina a chamou pelo nome e começou a falar sobre seus problemas, até pediu para que ela chegasse mais perto para lhe contar um segredo e ela, como se fosse velha conhecida da máquina, debruçou-se sobre a mesma e sussurrou, explicando sua vida. Outro cliente ganhou um uniforme completo de seu time do coração, além de um abraço e uma bola de um de seus jogadores e ir até o campo de beisebol, e lançar a primeira bola do jogo. Uma mãe ganhou uma quantia para a poupança da faculdade dos filhos e um vale para levar seus filhos à Disney, coisa que ela jamais pensou que poderia, pois não tinha dinheiro para isto.

Foram cerca de 30 mil clientes presenteados por todo o País com a quantia equivalente a 45 reais e mais aqueles 20 sortudos que foram presenteados com algo muito especial para cada um deles. Se essa moda pegasse e as Instituições Financeiras do mundo apenas se lembrassem de agradecer quem os mantém "ricos" de vez em quando, talvez isto melhorasse a forma como as vemos.

Publicidade