Terra de um amigo querido, que infelizmente não está mais entre nós, Manuel Guedes, guardada em suas memórias e descrita poeticamente em suas palavras. Assim falava Manuel, " É de um encanto simplório, com suas videiras nos terraços ao entorno do Rio Douro, muitas vezes terraços com uma única fileira de videira, muito trabalho para pouco retorno, mas um trabalho feito com muito gosto e que integra-se à paisagem, enchendo os olhos de beleza para onde quer que se desvie o olhar. Terra do Vinho do Porto, o melhor vinho do mundo, dizia ele, com muito orgulho de sua terra natal, se fores até lá, não deixe de visitar as quintas e provar de todos os vinhos um pouquinho. Lugar pequeno, tranquilo, com algo em torno de 700 habitantes, muito de seu turismo é feito pelo Rio Douro, onde navega-se sinuosamente, por entre suas curvas, e a cada nova curva, um novo suspiro de deslumbramento com os terraços de videiras à sua margem. Você abre um Vinho do Porto, tinto ou branco, encosta-se na poltrona e deixa a mente vagar na tranquilidade e paz do lugar.

Existem passeios rápidos, de duas horas, e existem passeios, como um pequeno cruzeiro,onde se viaja descendo o rio, por uma semana de belezas mil. Ah...a Estação de Trem...é um espetáculo à parte, uma das mais belas de Portugal, com seus 25 painéis decorados com azulejos azuis e brancos que retratam o cultivo da uva, é um pedaço de nossa história local, contada em azulejos...só vendo para entender a beleza feita pelas mãos do homem. No começo do século passado, tudo era transportado por esta ferrovia, e esta estação que hoje é atração turística, era a vida da região, graças à ela Pinhão cresceu e sobreviveu com sua uva e seu vinho, virou local das mais famosas "Quintas" produtoras de vinho de Portugal.

Pinhão fica na margem direita do Rio Douro, dentro do coração vinhateiro do Douro e toda esta região é patrimônio cultural da humanidade, classificada assim pela Unesco em dezembro de 2001.  Quem por lá se aventurar, trará consigo nos sapatos a terra amarelada grudada, lembrança da região de terreno xistoso, pois embaixo das videiras escondem-se blocos de granito e acima destes blocos, entre as videiras e eles, está este xisto quebradiço, que se amolece com a água, formando esta terra castanho-amarelada, que as videiras se aproveitam para crescerem e florescerem.

As uvas cultivadas na região de Pinhão, são consideradas de alta qualidade e são utilizadas na produção de Vintages (vinhos que permanecem em madeira por cerca de 20 meses e depois são engarrafados e continuam a envelhecer dentro da garrafa) e de Late Bottled Vintages ou LBV (vinhos que permanecem na madeira por cerca de 4 a 6 anos e quando são engarrafados já não precisam ser decantados, é só abrir a garrafa e beber um vinho encorpado, amadurecido e arredondado, que pode ser consumido mesmo após várias semanas da garrafa ter sido aberta),  lá encontram-se cerca de 17.000 hectares de vinhedos que abrigam as mais belas quintas e as marcas mais conhecidas de Vinho do Porto."

Pinhão, terra natal do amigo Manuel, com certeza é maravilhosa, mesmo sem conhecê-la pessoalmente e não ter nos sapatos a terra castanho-amarelada de seus vinhedos, enamorei-me pelo lugar e mal posso esperar para de um terraço qualquer, pousar meus olhos por sua beleza e ter nas mãos um cálice do melhor Vinho do Porto do mundo à aquecer-me a alma.   #Entretenimento #Natureza