Os duques de Cambridge, William e Kate, anunciaram oficialmente a segunda gravidez de Kate, depois do nascimento do primeiro filho, George Louis Alexander, em 2013. Os rumores de nova gravidez da princesa vinham a acentuar-se nas últimas semanas. A notícia vem na sequência de uma nova série dos típicos enjoos matinais de início de gravidez, sofridos por Kate Middleton. Tal já havia acontecido na sua primeira gravidez, quando a princesa havia mesmo sido hospitalizada, sendo que desta vez Kate está a receber cuidados de saúde no palácio de Kensington, em Londres. O comunicado indica também que a rainha Isabel II está, naturalmente, "encantada" com a notícia.

Publicidade
Publicidade

Os duques de Cambridge têm-se distinguido pela adaptação da sua imagem aquilo que sabem ser as expectativas dos súbditos britânicos. O facto de a princesa - e futura rainha, enquanto esposa do segundo herdeiro na linha de sucessão do trono do Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte - ser de origem plebeia (ainda que da alta burguesia, i.e., da classe média-alta inglesa) criou desde logo as condições para uma abordagem mais informal às funções simbólicas da monarquia. Abandonando a pompa e a altivez que caracterizavam a monarquia no passado, os príncipes agem actualmente de um modo informal. Exemplos dessa atitude foram o facto de William ter dispensado o motorista no momento de trazer o seu filho recém-nascido do hospital de St. Mary, ou a princesa ter aparecido em público quase imediatamente após o parto, sem qualquer receio das objectivas das câmaras.

Publicidade

Na prática, a princesa vem reforçar o que se pretende ser uma antiga tradição britânica, de "resiliência" e dureza - certamente também do agrado dos seus súbditos. 

A casa de Windsor dá assim mais um passo no sentido da normalização da sua imagem, afastando as memórias dos escândalos que afectaram a sua imagem nas duas últimas décadas do século XX. Actualmente, a popularidade da família real está em máximos históricos e continua a servir de elemento aglutinador da identidade do Reino Unido - ou pelo menos em Inglaterra. Não se sabe se esta notícia poderá influenciar os resultados do referendo para a independência da Escócia, que terá lugar no próximo dia 18 de Setembro. #Famosos