Carrancas, cidade conhecida pelos trechos turísticos e pelo enorme complexo de cachoeiras, com a sua economia baseada no #Turismo, não conseguiu escapar da onda de incêndios que vem atingindo parques de todo país. A falta de chuvas é a principal responsável pelas queimadas nos parques. Há pelo menos cinco dias, uma onda de incêndios vem atingindo a vegetação da cidade. Por enquanto, as informações que se tem é que dois corpos foram encontrados carbonizados e um brigadista tem uma grande porção do seu corpo queimada na tentativa de conter as chamas.

A unidade de corpo de Bombeiros mais próxima de Carrancas fica a 70 kilômetros, no município de Lavras.

Publicidade
Publicidade

A pequena cidade do sul de Minas não possui infra estrutura para combater um incêndio de grande proporção, então a prefeitura orienta os moradores a não tentarem combater os incêndios que estão fora de controle, devido ao alto risco.

Também pelo motivo de falta de chuva, o Parque Nacional da Serra do Cipó, localizado na Grande BH, também está sofrendo com os efeitos da falta de chuva. Em função dos riscos aos visitantes e o estrago até agora causado, este parque teve que ser fechado para visitação, por causa de um incêndio que atinge o local desde a sexta feira passada (10). As equipes que trabalham no local estão pedindo a ajuda de voluntários para combater os incêndios.

Ainda na Grande BH, o Parque Estadual do Rola Moça também vem sofrendo com os efeitos da estiagem. Em bairros do município de Nova Lima, região que o parque abrange, o sistema de fornecimento de energia elétrica e água foi interrompido.

Publicidade

Graças ao trabalho de profissionais para apagar o fogo, o incêndio já está controlado.

De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), Minas Gerais lidera o número de queimadas no país. Conforme o instituto, até agora já foram registrados 1005 focos de incêndio em todo o estado. A baixa umidade e a ausência de chuvas são as principais causas para que os incêndios aconteçam. A fauna, a flora e os mananciais ficam altamente vulneráveis nesta época do ano. #Natureza