Alex Chrisopher Laboeuf ficou conhecido como "Alex da Target" e a hashtag #AlexFromTarget tornou-se viral nas redes sociais cerca de um dia depois de uma adolescente com o username @auscalum ter partilhado no Twitter, a 2 de Novembro, uma foto do jovem a ensacar compras no seu posto de trabalho na loja Target. A imagem foi entretanto partilhada centenas de vezes e o rapaz de t-shirt vermelha e calças de caqui, o uniforme da Target, passou de 144 seguidores para 600 mil em alguns dias. Nem só de fama digital se fez este fenómeno. O funcionário da loja do Texas da segunda maior empresa retalhista dos Estados Unidos chegou a aparecer em canais de notícias e foi até convidado para o programa de Ellen DeGeneres onde explicou que pensava que a sua fama online se tratava de uma brincadeira até algumas adolescentes o terem abordado na loja e mostrado a crescente partilha de fotos do rapaz no Twitter.

Publicidade
Publicidade

"Fiquei mesmo confuso", confessou Alex no programa The Ellen DeGeneres Show.

Tão confuso que no dia 2 de Novembro perguntou no Twitter: "Sou famoso agora?". A resposta a esta pergunta já não é necessária. A foto de Alex gerou "memes" e vídeos na rede Vine, assim como notícias e comentários nas redes sociais.

Poderá Alex ser uma manobra de marketing?

Uma vez que o rapaz ficou associado à Target, de início pensou-se que a retalhista poderia ter a ver com a fama de Alex, que já ultrapassou os 15 minutos vaticinados por Andy Warhol. Mas foi a empresa Breakr, que reclamou o fenómeno como seu, no dia 4 de Novembro.

Numa publicação no LinkedIn, o director executivo da empresa de marketing, Dil-Domine Jacobe Leonares, escreveu: "Ontem divertimo-nos no Twitter com a hashtag #AlexFromTarget que se tornou uma das mais fantásticas experiênciais sociais.

Publicidade

Queríamos perceber quão poderosa é a base de fãs adolescentes ["fan girl demographic", em Inglês] ao transformar um jovem desconhecido e bem-parecido, funcionário de uma loja Target do Texas, numa imediata sensação viral na internet".

Se é verdade que a Target aproveitou a fama do seu funcionário, com frases no Twitter como "Também temos Alex no coração", a empresa reagiu ao comunicado da Breakr com um outro comunicado a garantir que nada teve a ver com o fenómeno viral nem está associada à Breakr, a assegurar o orgulho na sua equipa de trabalhadores e a solicitar respeito pela privacidade de Alex e da sua família.

Também Alex assegurou, através do Twitter, que desconhece a empresa Breakr e que não teve parte activa na sua ascensão à fama.

Seja ou não verdade que esta se tratou de uma "experiência social", Dil-Domine Jacobe Leonares deixou escrita a moral da estória: "Quando a poeira assentar, há uma lição a aprender aqui (...): se conseguirmos ganhar o amor e o respeito de uma comunidade global como é a base de fãs - podemos reunir fãs para direccionar consciencialização para qualquer causa (...)". #Famosos