Depois do Grand Canyon, da Torre de Willis em Chicago e, mais recentemente, a Torre Eiffel de Paris, foi a vez da Torre de Londres abrir aos turistas um tabuleiro pedonal superior com chão de vidro. A uns estarrecedores 42 m de altura do rio, a passagem pedonal é a primeira alteração estrutural da Torre de Londres, uma ponte com mais de 120 anos sobre o rio Tamisa, e um dos seus ex-libris, desde a sua abertura ao público em 1982. Cobrindo uma distância de 11 metros, os painéis de vidro de 7,5 cm de grossura, pesam perto de 550 Kg cada um e o custo da obra orçou em mais de 1 milhão de libras. Para além de uma vista espetacular sobre o horizonte londrino, por 9 libras os visitantes podem ver os típicos autocarros vermelhos e táxis pretos rolar debaixo dos seus pés e apreciar de perto o impressionante trabalho em ferro da estrutura da ponte. Se tiverem sorte ou se planearem a visita, poderão assistir a uma elevação do tabuleiro inferior, que permite a navegação no rio, de um ponto de vista espectacular.

Embora o objectivo desta adição fosse deliciar e não assustar, a experiência não é aconselhável aos corações fracos ou a quem sofra de vertigens.

Kristy Jones, de 36 anos, proveniente de Leeds, utilizou a experiência para vencer o seu medo das alturas. Atravessou todo o comprimento da passagem, correu apenas no fim, e… conseguiu olhar para baixo! "Foi bastante assustador, mas não posso deixar que me vença!"

"O cérebro grita 'Não!'" conta o bombeiro reformado de 71 anos, Stan Cooper. "Eu treinei em escadas giratórias de 30 metros, mas pelo menos aí vemos algo debaixo dos pés. Aqui os olhos dizem-nos que caminhamos no ar!"

Outra questão levantada foi a da possibilidade dos peões poderem tirar fotos "debaixo para cima" no tabuleiro inferior, algo que os engenheiros tiveram em conta mas, devido ao ângulo e à iluminação indirecta nocturna, asseguram que a visibilidade não é suficiente. "Não esperamos aglomerações nos passeios inferiores."

Está prevista a inauguração de uma segunda passagem paralela à primeira, no dia 1 de Dezembro. #Turismo