Escolhido por unanimidade entre as 107 obras admitidas a concurso, Que Importa a Fúria do Mar, da jornalista Ana Margarida de Carvalho, publicado pela editora Teorema, venceu o Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores (APE). A obra está dividida em duas gerações diferentes: tem início na madrugada de 1934 com Joaquim a lançar um maço de cartas pela janela de um comboio em andamento, provas e memórias de uma história de amor interrompida. Para além deste homem, viajam no comboio os revoltosos do golpe da Marinha Grande, feitos prisioneiros pela polícia de Salazar, para cumprirem a viagem até Cabo Verde. O objetivo da viagem destes presos políticos é inaugurarem o campo de concentração do Tarrafal.

Publicidade
Publicidade

Muitos anos depois, a jornalista Eugénia entrevista este homem, um dos poucos sobreviventes dos prisioneiros políticos, e ouve-o recordar a mulher que amou e as cartas que ficaram pelo caminho, assim como o trabalho infernal em Cabo Verde. Apesar de estarem separados por gerações, por histórias, condições de vida e sistemas políticos, estes dois personagens vão estar mais próximos numa "estranha cumplicidade com que partilham memórias insólitas, infâncias sombrias e amores decididamente impossíveis", pode ler-se na sinopse da obra. Eugénia, tal como se pode ler no Público, é provavelmente o alter-ego de Ana Margarida de Carvalho, a trabalhar atualmente para a revista Visão. Que Importa a Fúria do Mar foi finalista do Prémio Leya 2012 e encontra-se atualmente em 2ª edição nas livrarias.

Publicidade

O prémio da Associação Portuguesa de Escritores, no valor de 15 mil euros, foi atribuído pela primeira vez em 1982 à obra A Balada da Praia dos Cães, de José Cardoso Pires. O romance Um Deus Passeando pela Brisa da Tarde, do escritor Mário de Carvalho, pai da vencedora deste ano, foi também galardoado na edição de 1994.

Ana Margarida de Carvalho nasceu em Lisboa, cidade onde se licenciou em Direito, mas seguiu uma carreira no jornalismo. Assinou reportagens que lhe valeram sete dos mais prestigiados prémios do jornalismo português, como o Prémio Gazeta Revelação do Clube de Jornalistas de Lisboa, do Clube de Jornalistas do Porto e também da Casa da Imprensa. Esteve na redação da SIC e publicou artigos na revista Ler, Jornal de Letras, Marie Claire e trabalha atualmente como grande repórter na Visão. #Literatura