A Câmara Municipal de Torres Vedras deslocou o terminal rodoviário da sua localização no centro da cidade, na avenida General Humberto Delgado (perto da estação ferroviária), para uma zona periférica, na Expotorres. Ao mesmo tempo, foi aumentado o número de lugares de estacionamento pagos, medida que surge depois da anterior implementação de grandes parques gratuitos na periferia, em especial na própria Expotorres. Um mês depois da mudança, o município comunicou uma redução no volume de tráfego e do ruído no centro. Mas nem todos os munícipes concordaram com as alterações. A experiência poderá servir de exemplo para outras cidades de média dimensão.

Publicidade
Publicidade

Carlos Miguel, autarca torreense, informou que foram feitas medições sonoras que confirmam menos ruído e que se constatam menos filas de trânsito. Além disso, há mais "bicicletas públicas a circular" e mais lugares para estacionar. A autarquia revelou também um aumento de receita dos 8000 para os 13000, fruto do crescimento de avenças de estacionamento e do fim da primeira hora gratuita de estacionamento no mercado.

A edilidade torreense ainda informa sobre a intenção de ajustar as medidas, nomeadamente com a retirada de parquímetros em zonas periféricas, e também uma descida nos preços e melhores percursos no Transporte Urbanos de Torres Vedras (TUT).

O Blasting News falou com Joana Sousa, habitante do concelho de Torres Vedras, que se mostrou descontente com as medidas.

Publicidade

"Reduziram as linhas de autocarros precisamente para termos de andar no TUT. E para vir de carro, somos basicamente obrigados a estacionar na Expotorres." O descontentamento de Joana Sousa visava a perda de tempo para circular no transporte urbano. "Ou pagamos para trazer o carro para o centro, ou pagamos para esperar pelo TUT que nunca mais aparece. Basicamente, temos de pagar para vir à cidade."

A cidade de Torres Vedras situa-se no distrito de Lisboa, tendo cerca de 25000 habitantes, e é cabeça de um concelho com cerca de 80000 habitantes, o mais populoso da região Oeste. Recorde-se também que a cidade possui uma grande tradição velocipédica, sendo natural deste concelho o célebre Joaquim Agostinho, por muitos considerado o melhor ciclista português de sempre.