O director do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), Manuel Jarmela Palos, apresentou ontem a sua demissão do cargo. De acordo com o gabinete do primeiro-ministro Pedro Passos Coelho, o pedido de Jarmela Palos foi apresentado ao próprio, uma vez que o ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, resignou no domingo e a sua substituta Anabela Rodrigues só toma posse amanhã. Jarmela Palos viu confirmada a medida de coacção mais grave, prisão preventiva, na sequência do interrogatório no âmbito do caso dos vistos Gold. E embora a medida possa mais tarde ser convertida em prisão domiciliária, Palos terá entendido que faria pouco sentido permanecer como director do SEF estando preso.

Publicidade
Publicidade

Nos comentários à notícia e nas redes sociais, muitos cidadãos anónimos expressaram a sua desaprovação relativamente à conduta de Jarmela Palos, acusando-o de estar agarrado ao poder (a expressão "agarrado ao tacho" foi bastante utilizada). Outros questionavam por que motivo o ex-ministro Miguel Macedo não tomou a iniciativa de exonerar Jarmela, antes de se demitir - embora tal configurasse uma exoneração apenas com base numa suspeita judicial.

Jarmela Palos nasceu em 1964 e é licenciado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra. Entre 1993 e 1996 foi inspector responsável do posto de fronteira do Aeroporto de Lisboa, tendo sido, já em 1996, o Coordenador do Processo de Regularização Extraordinária de Imigrantes, processo que à época mudou as vidas de muitos cidadãos estrangeiros.

Publicidade

De 1996 a 2001 foi director regional da região Centro do SEF. Entre 2001 e 2005 foi director geral adjunto e desde 2005 é director nacional do serviço.

Adicionalmente desempenhou várias tarefas de representação internacional, como chefe da delegação portuguesa do Processo de Cooperação no Mediterrâneo Ocidental e membros de Grupos de Trabalho da União Europeia (grupo Fronteira, sistema de infornações Schengen, etc.).

Estas informações estavam, à hora de fecho da edição deste artigo, ainda publicadas num documento do sítio oficial do SEF, constando o nome de Jarmela ainda como director. Não se sabe quando será retirado ou actualizado, tendo em atenção que não é ainda conhecido o nome do próximo director do serviço.