Desde de 2010, mais coisa menos coisa, que o Portugal anda super-deprimido. O motivo é muito simples, mas ao mesmo tempo muito complexo. De repente os portugueses descobriram que o país estava na bancarrota. Muitos movimentos se levantaram, muitos protestos, muitas pessoas foram obrigadas a abandonar o seu país, para refazerem a sua vida num país estrangeiro. Muito se debateu sobre o assunto, havendo uma revolta geral contra a classe politica que governa de uma fora incompetente desde 1974.

Houve pessoas que ficaram sem casa, sem meios de sustento. Houve pessoas que foram praticamente anuladas, porque os seus direitos lhes foram tirados.

Publicidade
Publicidade

Houve portugueses que, depois de anos trabalho e descontos para o estado, se viram na mais completa incapacidade de sobreviver em Portugal, quanto mais viver com dignidade merecida. O número de pessoas sem-abrigo aumentou e muito. A saúde passou a ser um verdadeiro quebra-cabeças para os mais pobres. Para não falar que, com a tal "ajuda" exterior, acabou por tornar-se num verdadeiro terror. A saúde piorou, a educação ficou pelas ruas da amargura e este país virou uma república das bananas.

Foi um verdadeiro desastre, a chamada crise global! Sim, porque no final, a conclusão é sempre a mesma: "A crise é global" e as desculpas do costume. E quando estávamos mesmo a atingir o limite e caminhávamos a passos largos para o que seria uma grande revolução… De repente a crise deixou de ter importância!

Mas afinal o que aconteceu para as pessoas se desligarem da crise? Muito simples de explicar: Começava mais uma nova temporada da Casa dos Segredos, neste caso a edição 5 (aquele programa que ninguém vê, mas que tem milhões de audiência).

Publicidade

Até eu vejo. De repente, as nossas preocupações deixaram de ser o estado do país e a miséria em que a vida dos portugueses se tornou, para passarem a ser o Bruno, as 3 namoradas do Bruno, a Beta, etc., etc.

Fazem-se verdadeiras batalhas nas redes sociais por causa do comportamento dos concorrentes e gastam-se horrores em chamadas de valor acrescentado, para salvar uns e eliminar outros. É uma verdadeira batalha. E pronto! Foi assim! De repente a crise deixou de ter importância. #Televisão