Perdi o meu padrinho pouco tempo antes do natal. O meu padrinho que era mais um dos meus pilares e que as entidades divinas decidiram roubar de mim. Começo a ficar revoltada com tal poder dos céus, pois as saudades são uma sensação de inferno e as lágrimas dariam para encher a barragem do Tua que está em crescimento. Primeiro um irmão de coração, depois o meu pai, a seguir a minha madrinha e agora o meu padrinho. Serei eu assim tão recheada de pecados que me façam pagar com tal dor?

Carinhosamente, os que gostam de mim consolam-me com palavras de afeto que incluem a guerreira em que supostamente me tenho tornado com o enfrentar de todas estas perdas que me tiram sempre um grande pedaço de mim, da minha alegria e do meu conforto.

Publicidade
Publicidade

Este Natal não foi a madrinha a fazer os bolos de bacalhau, o pai a cozer o camarão, o padrinho a assar o bacalhau e o "irmão" a fazer-me a vida negra. Estou nisto há já vários anos, porque desde os 16 estas partidas têm-me feito sacudir os medos e caminhar na procura de respostas e de portos de abrigo que me prestem os cuidados afetivos que necessito para continuar "viva".

Tenho ainda várias pessoas que me amam e que eu amo e muito sinceramente não suporto a ideia de perder mais uma única destas pessoas. Como havemos nós de remendar os buracos que se vão abrindo a cada novo dia que amanhece? Não há linha que chegue para os remendar, não há tecido suficiente para os tapar nem caixa enorme que baste para os esconder. Revejo as memórias nos pensamentos, visito os momentos em fotografias mas a carência de um abraço, essa é impossível de colmatar.

Publicidade

Hoje tenho estrelas no céu que me acompanham a cada noite de sono, anjos que me guiam a cada passo do meu salto alto de menina sonhadora. De braço dado com a saudade, de beicinho para o destino, de coragem no peito e de amor no coração são feitos os meus dias, longos e curiosos. Resta-me a aceitação, a esperança de dias melhores, de um apoio altivo que jamais me desampare e que a chama de acreditar nunca se apague, sem ela a vida não existe, os olhos fecham-se não para um sono de horas, mas sim de um descanso para sempre.

Obrigado padrinho e todas as outras minhas estrelinhas por me tornarem quem sou, quem serei amanhã e quem quero ser no meu pequeno sempre. #Família